Blenda GirardiDestaques

Dança e saúde

Dança e saúde

Dança e saúde

Foto: ballerina project

Destrinchando

Por Blenda Girardi

Há algumas semanas atrás, não muitas, falamos a respeito da dança relacionada à ala masculina e seus desafios, ainda hoje, no Brasil. Não adentramos a respeito dos benefícios que a dança pode nos proporcionar. Mas agora, este será o enfoque.

Sabemos que a dança é uma manifestação artística. E que cada vez mais, esta modalidade tem invadido academias, centros de atividades e redes sociais como mais uma prática física em favor da saúde. fotografia já se rendeu a este universo. A moda, também. E claro que, nos cuidados com o corpo justamente por se tratar do movimento corporal sua característica óbvia, não seria diferente.

A dança chegou nas academias como alternativa para aqueles que não se identificam com os exercícios tradicionais, digamos assim. E com isso, a dança, nestes centros de atividades físicas, não têm aquela premissa que os bailarinos profissionais têm, como por exemplo, expressão de habilidades artísticas e todos os demais compromissos que qualquer profissional, de qualquer função, claro, lhe é exigido. Daí, é que fica mais gostoso para os adeptos em mexer o esqueleto. Afinal, para dançar, não é preciso idade. É só começar.

Mas, é fundamental que o aluno passe por uma avaliação física, e seguramente direcionado pelo profissional adequado, se jogar ao som do tipo de dança que mais lhe agrada. Sem o compromisso ou pressão a que profissionais do ramo estão inseridos, e claro, sem aulas com este enfoque (profissional), cada vez mais os donos de academias têm implementado as danças em seus espaços. E tem agradado, e muito.

A fisiologista Isabel Chateaubriand, médica que cuida de funções gerais do organismo, explica que “a dança fortalece os músculos, exercita a sustentação do corpo, promove a contração muscular e controle motor, melhora a respiração e resistência cardiopulmonar, além do lado emocional, que ajuda positivamente na saúde”. Ufa! Com tantos benefícios que a doutora nos conta, é escolher o ritmo de dança que mais te atrai, fazer sua avaliação física e consultar o profissional de Educação Física e se render
ao balanço!

Leia mais:

Atividades físicas em ambientes poluídos

Loucuras Lúcidas

Blenda Girardi

Blenda Girardi

Bailarina profissional há mais de 20 anos. Primeira bailarina clássica em sua companhia em Belo Horizonte/MG aos 19 anos e posteriormente, dedicou-se a todos os outros estilos de dança. (Jazz, contemporâneo, jazz funk, hip hop,
samba, musicais, etc). Formada também em Educação Física, estudante de teatro e canto atualmente.

Trabalha em programas de tv, como o ‘Domingão do Faustão’, da Rede Globo de Televisão, nos quadros que necessitam de bailarinos., fotografa como modelo para campanhas, etc.

Tem um solo show intitulado ‘Samba De Ponta’; que é um misto de samba com ballet nas sapatilhas de ponta, fazendo apresentações em eventos nacionais e internacionais. Destaque para o encerramento da Copa do Mundo de Judô, transmitido ao vivo pelo SPORTV, canais Globo.

O corpo fala
Anterior

O corpo fala

Moda no ciclismo 4
Próximo

Moda no ciclismo