DestaquesDestrinchando

Vamos falar sobre o amor

Vamos falar sobre o amor

Destrinchando

Confesso que havia me prometido não falar sobre esse tema nesse lugar profissional mas já são tantos pedidos e por esse canal eu posso me discorrer em várias ideias sem me preocupar em exagerar no tamanho da escrita.

O que eu posso falar é que eu aprendi e entendo sobre o amor após dois casamentos, uma filha e um coração que já foi partido em pedaços tão pequenos que um dia acreditei que jamais conseguiria juntar de volta mas juntei e hoje o tum tum dele é amor.

Vamos as ideias:

O amor é uma frequência que vibra em 528hz esse estudo é de um psiquiatra incrível e você encontra no livro Force vs Power.

O amor é inerente ao ser humano e você ama o tempo todo.
Tudo que você faz na vida tem um combustível amor ou quando você é omisso o medo toma conta. Mas tudo é amor.

O amor está sempre disponível. Sempre que você quiser sentir amor e ir ate um conhecido e se fazer claro que naquele momento você precisa de uma demonstração de amor seja em um abraço, um beijo, um cheiro, uma conversa… você irá ter.
Somos amor e nos pedir o que somos é muito fácil de dar.
Porque transbordamos amor.

O amor está te esperando e irá te encontrar.
Confesso, que até a mim essa ideia já me deixou irritada e ou infinitamente pessimista mas é sim verdade.
Há um chinelo velho para um pé torto. Há uma tampa certa para a panela. Você querendo ou não um dia você encontra a pessoa certa para aquele momento de vida.

Aí mora todas as distorções sobre o amor.

O amor é distorcido quando deixamos o medo e o apego entrarem e tomar o lugar de motorista desse carro.

O amor apenas ama.

Você quando está amando apenas ama.
Você é e está entregue.
Você confia.
Você está pleno.

Ótimo exemplo disso é ver uma mãe e pai que recém tiveram o bebe. Os dois estão em estado de graça. Eles são puro amor transbordando. Eles estão plenos os três.

O perrengue começa quando vai para o mundo e se inicia os “tem que”.

Amar é facílimo! Você, eu e toda a humanidade vibramos em amor.

Só que todos nós estamos habituados a confundir amor com medo. Como o medo é o oposto do amor fica fácil, muito fácil nos confundir.

Isso me lembra minha mãe, sempre que ia dar conselhos amorosos as mulheres da minha família ela acertava em cheio.

Um dia, curiosa, perguntei como ela podia acertar tanto.
Ela falou eu apenas meço o tamanho do medo dos rapazes e já sei se é amor ou mais uma paixão carnal.

Esse texto todo tem um único intuito te mostrar que você esta vivendo todos os dias da sua vida uma historia de amor.
Todos os seus relacionemos tem uma única tônica o amor.

Não há mais necessidade de sofrer ou chorar por amor porque não é uma verdade, se você estiver chorando com o coração partido na verdade você chora porque o seu parceiro (a) teve um medo tão grande que se deixou levar por ele e desistiu do amor.

Infelizmente temos a falsa ideia de culpar o amor mas na verdade devíamos culpar o medo. Ele sim é o grande vilão do fim das histórias de amor.

Para vocês que teve o medo nocauteando sua historia de amor eu escrevi um e-book que poderá te apoiar a vibrar em amor por você novamente e dar um murro de mão fechado no medo.

Me mande seu e-mail para larissabatistamt@gmail.com que enviarei gratuitamente.

Gostou desse texto?
Me siga no meu Instagram @larissabatistamt.

Todos os dias divido insights pela manhã que farão total diferença no seu dia!

Leia mais:

Superar o luto requer tempo

Lucas Machado

Lucas Machado

Escritor, profissional de Marketing e Comunicação.

Anterior

Ternos. Como deixar o modelo certo para seu estilo

Próximo

Outubro Rosa: Práticas saudáveis e o movimento pela vida