DestaquesDestrinchando

Terceiro Setor no Brasil

Terceiro Setor no Brasil

Destrinchando

A NECESSIDADE DA PROFISSIONALIZAÇÃO DO TERCEIRO SETOR NO BRASIL

Todo mudo já ouviu falar sobre “ONG’s” ou Fundações em nosso país. Porém, poucos entendem o seu funcionamento e a seriedade de se estar à frente de uma instituição que nasce para auxiliar e complementar as atividades Estatais.

O que poucas pessoas sabem é que, apesar de não existir finalidade “lucrativa”, leia-se repartição de dividendos e excedentes financeiros, atualmente, o Terceiro Setor é opção de carreira para os profissionais das mais diversas áreas.

Devido a forma como se iniciou no Brasil, através da Santa Casa de Misericórdia, na cidade de Santos, em 1543, o Terceiro Setor, durante muito tempo, foi associado ao trabalho voluntário. Contudo, com a complexidade das legislações aplicáveis e os desafios de inteiração com a Administração Pública, viu-se a necessidade de profissionalização e a adoção de políticas internas nas Organizações.

Ao realizar uma pesquisa sobre o Terceiro Setor, o PORTAL DESTRINCHANDO consultou a Advogada Isabella Leonel Rosa, sócia do escritório Leonel e Niemeyer Sociedade de Advogados, especializada no Terceiro Setor, advogada do Instituto Relute e de outras instituições na cidade de Belo Horizonte que afirmou: “O Terceiro Setor nasce, geralmente, de uma iniciativa por amor e pela vontade de se fazer o bem. No entanto, deve ser tratado com extrema seriedade e profissionalismo.

Esta necessidade é percebida no cenário atual, e por isso as Instituições têm buscado profissionais do Direito, Administração, Contabilidade, Comunicação e etc., habilitados para manter uma estrutura sólida e adotar medidas preventivas de governança e transparência, que contribuam para o crescimento e ampliação das atividades, bem como a captação de recursos, tanto da iniciativa privada, quanto com o Poder Público”.

A advogada também informou que, em conjunto com o sócio Athos Gabriel Rocha Niemeyer, advogado tributarista, a contadora Terezinha Nazário da Cruz e tantos outros profissionais, têm trabalhado fortemente para o fortalecimento do Terceiro Setor em Minas Gerais, pois entende que se as Instituições estiverem preparadas para interagir com os 1º e 2º setores, certamente contribuirão para políticas públicas efetivas, cooperando para o desenvolvimento do nosso país.

Por fim exclamou: “Não ha nada melhor que unir o trabalho ao amor ao próximo, é edificante. Os profissionais do Terceiro Setor carregam em sua alma muito mais do que uma carreira em busca de remuneração, mas uma missão na vida, o que torna cada dia mais sério, devido a responsabilidade exigida, e ao mesmo tempo leve e revigorante. ”.
Leia mais:

Construção Civil Impacto

Lucas Machado

Lucas Machado

Escritor, profissional de Marketing e Comunicação.

Anterior

Verão: Dezembro laranja

Próximo

Combinado Kids