DestaquesDestrinchando

Tendências da moda feminina para 2018

Tendências da moda feminina para 2018

Destrinchando

Seguem algumas tendências femininas que as famosas já estão usando para 2018. Confira;

Ano novo… novas tendências? Sim, quando apita o verão, a moda se renova. Mas o que será que vai bombar no verão/inverno brasileiro este ano? A consultora de estilo Juliana Brasil, da My Personal Stylist, analisou alguns looks das famosas e mostra o que vai vir com tudo em 2018. Anote aí!

Eternizado por Pamela Anderson em SOS Malibu, o maiô deu lugar aos biquínis nesta temporada. Hoje existem peças de todos os tipos e para todos os tipos físicos. Traz mais elegância e um ar moderno para o look praia. A modelo Gabriela Pugliesi aposta sempre em modelos com recortes, que valorizam sua boa forma. Para quem está acima do peso, a peça é, ainda, uma boa alternativa também, pois ajuda a delinear as curvas do corpo.

Tendências de moda feminina para 2018 3

Quem não comentou sobre o polêmico look usado pela atriz Bruna Marquezine no casamento de Marina Ruy Barbosa? O visual deu o que falar nas redes sociais, mas uma coisa é certa: Bruna sabe explorar as tendências que estão por vir. O óculos gatinho dos mais variados, principalmente os mais delicados e vintages, vão bombar este ano!

Tendências de moda feminina para 2018

O inverno também reserva novidades no mundo da moda. O protagonista dessa vez serão as boinas, bem no estilo parisiense nos anos 60. A versão verão já foi usada recentemente por Candice Swanepoel e Bella Hadid, além da sempre fashionista Rihanna. O que acham?

Tendências de moda feminina para 2018 1

O terninho está em alta para ser usado de forma mais descontruída e moderna. Com tênis, por exemplo, fica super despojado, ou com peças de cortes mais atuais como a pantacourt, como apostou Miley Cyrus, ao invés da calça social tradicional e o maxicolete no lugar do blazer.

Tendências de moda feminina para 2018 2

 

Destrinchando

Destrinchando

Açúcar é encarado pelos médicos como um vício
Anterior

Açúcar é encarado pelos médicos como um vício

Sem inclusão, não há solução
Próximo

Sem inclusão, não há solução