Destrinchando

Reality Shows

Reality Shows. Verdade ou um jeito de ganhar dinheiro?

Reality  Shows já viraram mania a muito tempo. Seja em diversos segmentos, a televisão vem fazendo muito, muito dinheiro mostrando a vida alheia, seja ela forjada ou não.

No mundo dos carros e das motos isso não passou despercebido e vários programas mostram a vida nada normal de algumas celebridades dos carros e das motos.

Muita gente acha que o American Choppers foi o primeiro voltado para as motos. Não foi. A muito tempo atrás, foi lançado em alguns episódios um programa chamado Motorcycle Mania, que mostrava a vida de um jovem Californiano, com um nome bastante conhecido e de descendência verdadeira com o veradeadeiro, Jasse James.

Começou sua carreira fazendo suas próprias motos, em sua casa. Trabalhou com o ícone dos Hot Rods, Boyd Coddington.

Reality Shows

Ganhou fama pelos suas motos e pela vida de “Bad boy” que levava. Criou interesse da mídia e fez os episódios desse programa, que mostravam o dia a dia desse cara, diferente em tudo que fazia. Suas namoradas ou esposas costumavam ser atrizes de filmes adultos. Em sua maioria lotadas de tatuagens, assim como ele ou então celebridades, como Sandra Bullock ou a tatuadora e dona de um reality também,  Kat Von D.


Construtor de mão cheia, mostrava toda a sua habilidade em frente as câmeras, fabricando peças de motos, em matériais difíceis de se trabalhar, como bronze,  assim como mostrava seu estilo de vida bandido, não se furtando de exibir seus “brinquedos”, que podiam ser armas de fogo, cassetetes, bastões telescópicos, entre outros,  os quais chamava de “conselheiros matrimoniais”.


Por conta de sua habilidade, ganhou outro programa, mais estilo rede “plim-plim”, onde junto com uma equipe de “amadores”, transformava carros normais em aberrações funcionais, como um Mustang cortador de grama, um carro funerário que cavava as próprias covas, um Porsche que coletava bolas de golfe e um utilitário que recolhe lixo, entre outras bizarrices.

Nessa onde de sucesso, outro programa, esse bem mais conhecido do público foi American Choppers, onde pai e filho fabricavam motos temáticas em meio a muita briga de família, com direito a lavação de roupa suja no horário nobre.

Muito se especulou dessa brigas, se eram reais ou não. Mas o lance é que tanta confusão rendeu processos de ambas as partes, assim como picos altíssimos de audiência.

O programa girava em torno da fabricação de motos temáticas, ou seja, grandes empresas encomendavam motos voltadas para o produto que fabricavam. Algumas motos eram de gosto duvidosos e pouco funcionais, pois prestavam apenas para exibições ou divulgação do produto de quem encomendava. Mas isso não os fazia deixar de fabricar motos também para celebridades ou de série, vendidas também para o público comum.

Até nosso presidente se rendeu aos briguentos e foi encomendada uma moto com o tema Brasília e que foi entregue pela trupe num grande evento moto ciclístico lá mesmo na terra dos políticos endinheirados. Dizem que essa moto foi apreendida depois do evento, por ter entrado no Brasil sem os trâmites legais. Bem típico do lugar e do país.

Dizem que essa moto se encontra nos porões da policia federal, juntando poeira. Uma pena, pois é um item realmente raro  e deveria estar exposto em algum lugar digno. Apesar do tema ser um desperdício de motocicleta…

Os carros também não ficaram de fora. Numa série copiada mundo afora, o programa Overhaulin, “roubava” o carro de pessoas comuns e os transformavam em verdadeiras jóias, sob a batuta do mestre da costumização Chip Foose. No programa, eles simulavam o roubo do carro e tinham, em tese,  7 dias para terminar a transformação. Claro que de vez em quando, algumas gafes eram cometidas, como um funcionário que fazia a carroceria de um Corvette, “soltar”  que já tinha gasto mais de 400 horas de trabalho só na carroceria.

Bom, uma semana tem 168 horas, portanto, foram pelo menos duas semanas e meia, só na carroceria e não uma semana como prometia o programa. No final dos episódios, a entrega dos carros, com direito a choro e emoção, quando o dono “descobria” que seu carro não tinha sido roubado e estava melhor do que antes.

Essa linha foi seguida por um programa brasileiro e vários episódios foram feitos aqui em Belo Horizonte, onde os carros eram restaurados. Um grande amigo meu, o falecido Delzio Muerer era o design dos carros e seu talento com tintas e pinceis eram dignos de um mestre.

Por problemas jurídicos o programa saiu de Belo Horizonte e foi para a terra da emissora responsável pelo quadro. Hoje em dia, uma gama de programas apresenta o mundo dos carros e das motos e de como são feitos, assim como equipes de corrida e tudo que se relaciona a esse mundo.

Mas fica a pergunta: O que eles tem de reality? Aquilo tudo é espontâneo? É armado? É verdadeiro? As brigas e discussões são reais? A forma de se fazer os produtos são reais?


O que posso dizer é que, como em toda produção, existem diretores, câmeras e edição, por mais óbvio que isso possa parecer. Somente uma coisa não se pode negar. O volume de dinheiro é muito alto para quem participa e produz esses programas, consumidos no mundo inteiro


Destrinchando

Destrinchando

Anterior

Bonés Moda Homem

Próximo

O que é o amor