DestaquesDestrinchando

Quebra de gorduras localizadas e tratamento de doenças

Quebra de gorduras localizadas e tratamento de doenças

 

Destrinchando

Terapia objetiva e menos invasiva permite a quebra de gorduras localizadas e o tratamento de doenças

A gordura localizada, estrias, celulite, flacidez, alopecia ou calvície e o envelhecimento cutâneo, são alguns dos problemas que podem ser combatidos ou suavizados por meio do uso da técnica intitulada Intradermoterapia ou Mesoterapia. Moda entre famosas nacionais (Juliana Knust, Kelly Key, Gabriela Pugliesi, Julia Faria e Cláudia Raia) e internacionais (Paris Hilton, Cindy Crawford e Cate Blanchett), o tratamento de origem francesa, vem se tornando popular no Brasil por apresentar resultados já na primeira sessão.

A farmacêutica e cosmetóloga da Clínica Penchel, Juliana Coelho, explica que o tratamento consiste na aplicação de enzimas e proteínas sob ou abaixo da pele para o auxílio na aceleração de reações químicas que ajudam na absorção de gorduras corporais e faciais. “Por meio de microagulhas de quatro ou seis milímetros de comprimento são introduzidas pequenas quantidades de ativos, que são escolhidos em função de seus efeitos terapêuticos sobre o órgão alvo, próximo ao local da aplicação. O método tem como princípio básico a utilização mínima de substâncias químicas somente na área a ser tratada. Assim, ele não atinge ou afeta outros órgãos, proporciona uma forte ação seletiva e garante uma maior efetividade”, esclarece.

O uso da Intradermoterapia é muito diverso, sendo direcionado para o controle ou amenização de diversas queixas e disfunções que demandam tratamentos realizados localmente, como por exemplo, as enfermidades reumáticas e traumáticas, e as imperfeições estéticas.

Dependendo das necessidades do paciente e dos efeitos esperados para cada caso, as soluções empregadas no tratamento podem ser formadas pela combinação de vitaminas, minerais, enzimas, extratos de plantas, anestésicos, medicações alopáticas e aminoácidos.  Segundo Juliana Coelho, o uso ordenado destas substâncias possui ação lipolítica, ou seja, atuam na eliminação de células adiposas e assim melhoram a circulação sanguínea. “Ao ser introduzido no paciente, esse conjunto de ativos age na quebra da gordura, a decompondo em micropartículas que podem ser absorvidas e metabolizadas pelo organismo”, elucida.

Com um mínimo potencial invasivo e praticamente indolor, esse tipo de terapia pode ser realizado em várias partes do corpo, como os glúteos, abdômen, coxas, braços e costas. “Por contribuírem para a eliminação, catalização e controle da presença da gordura no organismo, as enzimas têm sido muito procuradas para auxiliar no processo de emagrecimento, contorno corporal, melhora na qualidade de vida e aumento da eficácia dos resultados de atividades físicas”, ressalta.

Conforme Juliana, o número e a frequência das sessões irão depender da intensidade da patologia instalada e das respostas apresentadas pelo organismo de cada paciente. “Como regra geral, a nossa clínica efetua de 1 a 2 sessões semanais durante o período de tempo que for essencial para o resultado desejado para aquela queixa em específico. É preciso lembrar que não existe a necessidade de períodos de recuperação ou repouso”, comenta.

O principal benefício deste método é sua ação localizada e objetiva, pois, assim ela impede reações desagradáveis como as intoxicações hepáticas, distúrbios intestinais e renais, e lesões no estômago (gastrites e úlceras). “Sendo comum em tratamentos sistêmicos, ou seja, terapêuticas compostas pela ingestão de comprimidos e aplicações de injeções, estes efeitos indesejáveis acontecem devido ao fato de que tais substâncias são distribuídas por todo o corpo antes de atingirem o alvo do problema”, destaca.

Ainda que ofereça ótimos resultados, é necessário lembrar que os ganhos da técnica também dependem da adoção de uma alimentação balanceada e a prática de exercícios físicos. “Além disso, é essencial advertir que o tratamento deve ser feito com o apoio de profissionais qualificados para que não ocorram erros ou surjam efeitos inesperados como a ocorrência de inflamações, alergias, infecções e alterações no contorno do corpo”, conclui.

Leia mais:

Exercícios para perder peso e barriga

Lucas Machado

Lucas Machado

Escritor, profissional de Marketing e Comunicação.

Anterior

Exercícios para perder peso e barriga

Próximo

50 Curiosidades que você nem faz ideia