DestaquesEntrevistasLucas Machado

Pizzaria Caraíva.

Pizzaria Caraíva.

POR LUCAS MACHADO

FOTO: MARIO MACHADO

 

Pizzaria Caraíva. A pizza do Zé Mú.

Eu acredito que uma das melhores maneiras de contribuir com a humanidade é falando de pessoas das quais você admira independente se são ou não seus amigos, ou conhecidos. Histórias que geralmente dariam um livro, são fascinantes, mostram seres que realmente vieram para esse mundo fazer a diferença em tudo que fazem, transformando vidas e ultrapassando as barreiras do imaginário.
“Como costumo dizer aos meus amigos: o verdadeiro homem na maioria das vezes não está ligado a enormes somas de dinheiro, e sim a simplicidade, humildade e desapego a coisas materiais, sem perder a magia de um grande artista”.

Zé Mú veio de uma pequena cidade no Paraná, por sorte acabou se instalando na capital mineira depois de muita história vem escrevendo por aqui sua trajetória de sucesso com muita dedicação.
Fora do trabalho, o esporte é tudo aquilo que gosta de fazer quando não está com a esposa Lêlê ou trabalhando. Natação, Skate, Surf e se equilibrar na famosa fita, são coisas que fazem parte do seu dia-a-dia.
Scotini conta abaixo em nossa entrevista um pouco de sua vida. O lugar, dessa entrevista não poderia ser outro: Rua Itapema, bairro Anchieta, Pizzaria Caraíva. Confira um pouco da trajetória de José Scotini, o Zé Mú.

 


Onde você Nasceu?
Dois Vizinhos – Paraná, a 300 km da capital Curitiba.

Quando você saiu de dois vizinhos?
Aos 15 anos

Foi para qual cidade?
Joinville. Fui trabalhar na Tubos e Conexões Tigre convidado pelo proprietário Jonh Hans.

Qual o motivo?
Fui trabalhar na Tubos e Conexões Tigre á convite do Jonh Hans, proprietário da empresa.

E a Bahia?
Cheguei em Arraial d’Ajuda aos 16 anos.

Foi sozinho?
Não quem me levou foi o próprio Jonh Hans, na época, ele tinha um Hotel lá que se chamava: Hotel Aldeia do Sol.

E o que você fazia lá em uma época que não tinha Luz, asfalto faltava quase tudo?
Adestrava animais, essa foi minha primeira experiência profissional na Bahia.

E depois?

Primeiro translado de Arraial para Trancoso, para a praia do nudismo. Fazíamos outras paradas para turistas também.



Como surgiu o apelido Zé Mú?

Por que eu tive a primeira Barraca de Pizza na praia do Mucugê, não tinha nenhuma infra, era tudo congelado. Chamava Barraca do Mú. Depois Pizzaria Mú. Hoje Pizza Caraíva.

E a Pizza?

Bom, o Arthur era frequentador da minha barraca e um dos antigos donos do Canecão no Rio de Janeiro, tinha umas escunas e barcos para alugar em Arraial e, eu fazia todo o trabalho pela minha agência para ele. Certo dia ele me chamou para arrumar um de seus barcos no Rio de Janeiro, no caminho da Bahia para o Rio ele me pediu para fazer uma comida, eu disse que só sabia fazer pão e Macarrão, ai ele me disse: “Faz uma Pizza, como só sabia fazer a massa, ele me ajudou, acabou saindo minha primeira Pizza”.

 


Mas e aí… Quem foram os primeiros a comer?

Todos que estavam no barco. E eles disseram: A pizza mais gostosa que eu já comi: a Pizza do Zé Mú, e pegou. Fiquei três anos com a Pizzaria do Zé Mú, no Mucugê, em Arraial.E como foi a parceria com os amigos Léo (Bike) e Rick?

Meus grandes amigos, é uma pena não poder contar com o grande Rick, mas com certeza está em um lugar melhor. Fizemos o primeiro Franchise do Sul da Bahia. Os dois me ofereceram para levar a Pizzaria para Caraíva, eu topei. Eles fizeram um verão lá. No segundo ano eu já fui com tudo e fiquei por lá mais seis anos.

Quando foi que você começou a fazer os eventos?

O Paulo Melo da Pachá me ofereceu uma parceria, topei e ele foi para Ibiza, esse modelo era maravilhoso montamos uma pizzaria na frente do nascer do sol em Caraíva. Depois a Space com Daniel de SP. Foi quando acabei mudando para São Paulo e ficamos quase dois anos na Villa Olímpia com a Pizzaria.

E Belo Horizonte?

BH é uma cidade maravilhosa principalmente que a minha esposa, Lêlê, é mineira. Nos conhecemos e não nos separamos nunca mais; montamos o Pizzaria Mú em Belo Horizonte, com mais dois sócios. A sociedade se desfez. Mas continuamos.
Vocês não trocaram de local, mas de nome, como foi essa mudança apesar de você ter construído toda a história?

 

Vocês não trocaram de local, mas de nome, como foi essa mudança apesar de você ter construído toda a história?

Fizemos uma enquete com os nossos clientes durante um tempo com os seguintes nomes: ”Som das pizzas, Pizzaria Scotini e Pizzaria Caraíva”. A Pizzaria Caraíva ganhou com 90% dos votos.

Hoje além da Pizzaria Caraíva, vocês continuam fazendo vários eventos como isso funciona?
Fazemos festas de aniversário, casamentos, eventos para empresas e festas em geral.

Quem são os clientes?
Fiat, Casa da Insanidade mental, Universo Paralelo, entre outros.

E o Universo Paralelo?
Conheço o Juarez o dono do Universo Paralelo há muitos anos. Ele era frequentador das minhas festas e há oito anos fazemos a Pizzaria no Universo Paralelo, um dois maiores eventos de música eletrônica do mundo.
O Universo Paralelo agora é feito de dois em dois anos. Esse ano irá ter alguma novidade que você possa contar?
O que eu posso dizer é que a Pizzaria Caraíva fará um modelo que estamos criando de Pizzaria divertida, vai ser muito legal.

A pizzaria Caraíva faz alguns trabalhos sociais como funciona?

Bom, temos alguns contatos com líderes comunitários, eles pegam de 70 a 80 crianças e vamos até o local e distribuímos três horas de Pizza direto para a criançada. É importante frisar que não tem nenhum cunho político e não terá. O próximo será no final de abril, na Barragem Santa Lúcia, com o pessoal da capoeira.

Os planos para 2016?
Muita coisa nova por ai… Aguardem. Incluindo um Super Food Truck.


Lucas Machado

Lucas Machado

Escritor, profissional de Marketing e Comunicação.

Abacate 1
Anterior

Abacate

Próximo

Body