DestaquesExtremeFitnessLucas MachadoPaulo Solmucci

Os Liberais

Os Liberais

Os Liberais

Por Paulo Solmucci

OS LIBERAIS DE SI MESMOS

Temos o vício cotidiano de invadir a vida alheia. Faz parte da formação do Brasil.

No país da maior e mais longa escravidão africana, ser dono do outro – o negro – virou a regra geral. Toda a riqueza do país foi produzida pelos escravos durante 350 anos.

O negro pertencia, inteirinho, aos sinhôs, às sinhás e aos filhos dos sinhôs e das sinhás. Era destituído
do físico e do psíquico.

Em boa parte, assim ficou. Até hoje. É comum alguém querer que o outro faça o que ele – esse alguém – quer. “Ora, por que você não vai tomar um uísque com a gente? Para com isso, cara. Que caretice! Oi, garçom, traga pra ele copo, gelo e o Johnny vermelho”.

Ou o contrário: “Caramba! Você vai tomar a terceira dose? Oi, garçom, não serve mais uísque pra ele não”.
O sujeito manda no amigo e, também, no garçom. Manda no mundo.

Alguém tenta justificar o péssimo hábito de se intrometer na vida e na vontade alheia. “Isso faz parte da nossa cultura”. Esculhambaram com a palavra cultura.

Ora, ora. Isso não faz parte da nossa cultura. Faz parte do nosso vício. É o vício do personalismo, do mandonismo, do coronelismo. Proliferou. Homens, mulheres, jovens e crianças adotaram-no como um estilo de vida.

Há aquele que reclama: “O governo se intromete demais em nossas vidas”. A intromissão governamental é apenas a institucionalização de miríades de intromissões que praticamos em nossa rotina cotidiana, dia e noite, noite e dia.

O governo é a simples extensão do que somos. Se a maioria da sociedade é corrupta, o governo é corrupto. O cidadão é dos que xingam o corrupto o tempo todo. Mas, o tal indivíduo “molha” a mão do guarda para se livrar da multa.

O sujeito fala alto no restaurante. Invade o espaço do outro? De forma alguma, porque, na cabeça dele, o espaço é todo dele. “Que chatice, cara! Falo alto mesmo, e daí? Alegria, véio, alegria!”

O amigo não quer entrar na piscina. Empurra o amigo. E, depois, lá dentro, exibindo uma taça de espumante para a foto do Facebook, reclama que o governo se intromete em tudo.

Ele é um liberal. Um liberal só pra ele mesmo.

Leia mais matérias:

Corporativismo

Vício

Lucas Machado

Lucas Machado

Escritor, profissional de Marketing e Comunicação.

Anterior

George Michael

Próximo

Janeiro Branco