DestaquesDestrinchando

O que são os rejeitos da mineração

O que são os rejeitos da mineração

Destrinchando

Por Letícia Pimenta

Após a tragédia de Brumadinho, muitas pessoas estão me procurando querendo entender um pouco mais sobre as barragens, mineração, rejeitos e principalmente soluções. Por isso resolvi fazer alguns posts explicando um pouco de todos esses temas.

Vamos entender melhor o que são os rejeitos de minérios e como são criados? O rejeito é a sobra do processo de mineração, a rocha é extraída, triturada, peneirada e lavada, mas vou explicar melhor cada passo. São extraídas rochas do solo e os blocos são encaminhados a um britador, para que a rocha fique no tamanho necessário para alimentação dos moinhos, a britagem é responsável pelo tamanho e pela forma dos fragmentos de minério.

O segundo passo é passar esse material pelo moinho, responsável em deixar esses fragmentos ainda mais finos, essas partículas são reduzidas pelo processo de compressão, abrasão e atrito, a um tamanho adequado aos padrões de liberação do mineral, o método mais comum é realizado por meio de moinhos cilindros (bolas ou barras).

Após essa etapa o minério é jogado em grandes tanques, onde passa pelo processo de flotação, o material mais leve (areia e argila) flutua em uma espuma e o material pesado afunda, assim fica mais fácil separar os materiais não valiosos do que atende os critérios para ser vendido.

Esse material leve e menos valioso, sai em formato de lama e vai direto para as barragens de rejeito. Como o rejeito é formado praticamente de areia, argila, água e o próprio solo, não é tóxico, mas quando ocorre um rompimento da barragem de rejeito, a lama sai com muita pressão e vai se misturando com tudo que encontra pelo caminho, levanta as margens, o fundo do rio, esgoto e acaba envolvendo junto a lama, substancias tóxicas que estavam compactadas a muitos anos e espalhando pela natureza.

Hoje já existem várias formas de se reaproveitar esse rejeito, vou escrever algumas soluções que achei incríveis para vocês.

Gostou do texto? Então me segue lá nas redes sociais @classeengenharia. Se você tem dúvidas e sugestões, mande um e-mail para contato@classeengenharia.com.br.

#TeVejoNaObra

Letícia Pimenta

Letícia Pimenta

Letícia Pimenta Duarte, engenheira civil e empreendedora. Sócia da Classe Engenharia, especialista em reformas residenciais e comerciais. Apaixonada por inovações e pelas diversas formas da engenharia.

Anterior

ÉMILE DURKHEIM: A ANOMIA E O CRIME

Próximo

Atividades físicas na água