DestaquesDestrinchando

O Céu é o limite

O Céu é o limite

O Céu é o limite

Por Amanda Fer

Todos nós sabemos que devemos viver o hoje pois amanha não nos pertence. Mas tudo deve estar em perfeita ordem ou no seu, devido lugar.

Salários astronômicos, hits musicais, holofotes, torcidas ensandecidas, heróis de chuteira e o céu é o limite.

Justamente. Alcança-se o céu, porém ele é o limite. Semana passada tocou o céu e dele despencou sem dó nem piedade o avião que levava a o time da chapecoense, equipe técnica e jornalistas.

Em terra firme, mas longe dos gramados, pais, mães, filhos, esposas, namoradas, todos órfãos de uma calamidade. Era pra ser festa, virou funeral. Era pra verde, coloriu-se de preto

O Brasil parou, tal qual o avião a chocar-se nas montanhas. Choque que despedaçou corpos, sonhos e corações.

E a vida? Esvaiu-se abruptamente e tudo que era deixou de ser. Nunca mais o mesmo time, nunca mais aquele olhar, nunca mais o mesmo sorriso, nunca mais o mesmo grito da torcida.

O tempo é sábio ao cicatrizar as feridas e aplacar dores agudas. Mas na vida, só a morte para nos colocar no nosso devido lugar, simples seres de carne, ossos, sangue e sonhos.

Os salários astronômicos mudaram de mãos, novos hits surgirão e outros calcarão as chuteiras de ouro e novamente o céu será o limite.

Leia mais:

Chapecoense

Esporte

Destrinchando

Destrinchando

Anterior

Homem moderno

Próximo

Verão