DestaquesDestrinchandoFelipe ReisSem categoria

Ninguém vale a sua insônia

Não se esqueça de você e das suas necessidades.

Por mais que a gente goste, ame, precise de alguém, não podemos nos esquecer de nós mesmos, de nossas necessidades, de quem somos nesse percurso. Não tem como amar ninguém, de forma saudável, sem olhar para si próprio. Perder-se de si mesmo é perder-se do outro, da vida, do mundo.

Se você chora mais do que sorri, sofre mais do que tem prazer, se preocupa mais do que descansa. Os dias se estendem sem uma razão aparente, sem uma emoção crescente, sem nem mais ou por quê. As horas não passam, o frio é constante, e nunca se aproveitam dias de sol.

Você enxerga nuvens todo dia, parece que a dor nunca alivia, e que os olhares nunca mais se entendem, nem se encontram. Se o peso de dentro só aumenta, se a carga afetiva é incômoda, a comida não desce direito, se o engolir seco e o gelo na nuca fazem mal e não vão embora.

As mensagens não são respondidas, se as desculpas não são atendidas, se o convite não chega. Se só de um lado tem preocupação, ocupação, compromisso, comprometimento. Se a responsabilidade é só de um, se o amor é desigual, se nada tem peso igual nessa balança. Se um lado carrega tudo, um lado toma pra si o que deveria dividir, um só lado se cansa.

Se provoca desequilíbrio emocional, cansaço físico, exaustão da alma. Se há dúvidas o tempo todo, questionamentos, hesitação. Se nunca há calma, ponderação, discernimento e aceitação. Se não há diálogo, cumplicidade, se o recíproco é vazio. Se não existe mais esperança, mudança, sossego, arrego.

Se um dia parece durar cinquenta, se nem a voz mais se aguenta, se a angústia parece não ter fim. Se a boca seca, o estômago embrulha, a visão embaralha, os pés perdem o chão. Se a respiração é ofegante, se o medo é recorrente, o desespero toma conta, o ânimo não se levanta.

Se é isso tudo e mais ainda, pare, reflita, repense e decida. Nada vale sua paz de espírito, sua leveza, seu acordar e dormir sorrindo. O que vale são as mãos dadas, olhos nos olhos, encontro de almas, de pensamentos, conexões mentais. Ninguém vale sua insônia.

Acorde para a vida e mantenha junto de si somente o que emociona o seu coração, somente aquilo que tiver amor envolvido. Viva sem peso inútil. Todos temos esse direito e você também. Vivamos!

 

Felipe Reis

Felipe Reis

Dj e produtor musical a 14 anos, administrador, economista e historiador. Felipe é idealizador da Virada Cultural de BH, participou na construção do Centro de Referência da Juventude nas capitais e das extintas casas de shows Mercado e Fábrica. Foi Diretor geral da Revista Pura. É ambientalista, Presidente da Associação Brasil Sustentável e recentemente inaugurou sua nova casa de shows que leva o nome de IndustriALL e a The Cave, um clubinho intimista para 150 pessoas.

Anterior

Homens: o que não fazer na balada em 9 passos

Próximo

A arte de fazer a leitura nas entrelinhas