DestaquesDestrinchando

Macau

Macau.

Em Português ou Chinês?

É um lugar que impressiona a primeira vista. Nas ruas os imponentes cassinos, chegam a parecer que o dinheiro é tudo, enquanto os inúmeros templos budistas se misturam e lembram que existe algo mais de espiritualizado, fazendo surgir os contrastes mais interessantes. Espírito e matéria, China e Portugal fazem deste país um lugar sem igual.

Macau.

Uma curiosidade de Macau é que, na verdade, somente as pessoas mais velhas falam o português e mesmo assim, quando querem que os mais novos não entendam o que eles estão dizendo. Já as placas nas ruas, nos ônibus e na cidade estão em chinês e português.

Macau é um país católico que, com certeza, perdeu suas características da colônia, como a língua, a religião e o sistema de governo. Eles não são mais imperialistas e não é difícil achar no pequeno território pessoas bilíngues ou até trilíngues. Ou seja: Falam pelo menos mandarim, inglês e cantonês, além de outros vários dialetos.

 

Destrinchando - Macau

 

O contraste entre o moderno e o antigo é o ponto alto da arquitetura de Macau.

É fantástico ver os prédios novos espalhados pela cidade, enquanto que nos bairros residenciais ainda existem muitos construções que contam a história local.

Ainda na China, outro ponto interessante são as ilhas. Lá eles consideram como duas, a Land ou Main e Islands. Entre as várias existentes, tive a oportunidade de visitar Macau e Hong Kong. De Hong Kong saí em um barco rápido que parte do centro da cidade e chega ao terminal de Macau. A viagem dura cerca de uma hora e meia e custa cerca de 150 dólares de Hong Kong,

 

Cassino

Como no território em si os cassinos são proibidos, as ilhas se tornaram muito atraentes para o turismo de lazer. Além disso, as atividade nos cassinos geram emprego e renda e podem ser uma ótima alternativa para quem quer dar uma saída de Hong Kong, passar um dia em Macau e retornar no mesmo dia. Outro ponto forte: Os restaurantes dos cassinos são bons e baratos.

 

casino-lisboa-macau-from-hong-kong

Dicas

Como chegar: Voar para a Macau tem que ser via Europa, Oriente Médio ou África do Sul. Hong Kong é uma ótima opção de entrada.

Documentos: Passaporte válido por 6 meses e certificado de vacina contra a febre amarela.

Seguro: Nunca vá sem um seguro de viagens.

Moeda: Pataca e cartões de crédito, enquanto que traveller checks são pouco aceitos, a não ser em lojas maiores.

Roupas: O verão é muito quente e úmido, portanto, abasteça a mala com roupas leves e confortáveis. Já no inverno o frio é rigoroso e neva em várias partes do território.

Gorjetas: São quase uma instituição e em toda China já é cultural dar gorjeta e um “agrado” às pessoas ao seu redor.

Comida: Mesmo deliciosa,ela é muito apimentada para nosso paladar. Você vai encontrar muito vegetal e molhos agredoce na composição dos pratos.

Cultura: O povo Chinês é muito agradável e adoram ser prestativos,  mesmo quando não entendem nada que você fala. Eles chamam um, depois outro, até alguém descobrir o que você precisa e, na maioria das vezes são engraçados e tímidos. Detalhe: Adoram tirar fotos com estrangeiros!

Segurança: Macau é um país seguro, mesmo os taxistas são justos e normalmente não enrolam os turistas. Procure no seu hotel uma cartilha que está em inglês, francês, alemão e até espanhol com o nome dos principais locais na língua escolhida: Assim você só precisa mostrar o local, pois a tradução está logo ao lado.

Voltagem: 220 volts

Dica: Evite os meses de outubro a fevereiro ou junho a agosto que são os meses mais quentes ou os mais frios respectivamente.

 

Destrinchando

Destrinchando

Anterior

Disco Voador

Próximo

Al Capone