EntrevistasLucas Machado

Tico Santa Cruz

Tico Santa Cruz

DESTRINCHANDO:

Entrevista Tico Santa Cruz

Por Lucas Machado

Foto: Mario Machado

Destrinchando – Lucas machado Entrevista Tico santa Cruz: Compositor, escritor e poeta, é idealizador do grupo de performance social Voluntários da Pátria, e vocalista do Detonautas Rock Club.

 

SABER É PODER

Tico-Santa-Cruz nasceu no Rio de Janeiro em setembro de 1977. Cursou Ciências Sociais, Comunicação e Educação Física, mas não chegou a concluir os cursos, voltou sua atenção para sua banda o Detonautas Roque Clube. Compositor, escritor e poeta, é idealizador do grupo de performance social Voluntários da Pátria, que tem como objetivo levar música, poesia e debates sócio políticos em escolas, universidades e penitenciárias. Sua primeira experiência literária foi o livro chamado “Clube da Insônia”.

Tico Santa Cruz

Agora de volta em outra obra, com o título,“ Tesão ”. Por que o título do livro?

Eu lancei um livro no ano passado chamado “Clube da Insônia”, que abriu minha aventura nesse campo literário eventualmente e todos esses textos, já venho escrevendo há muitos anos, desde quando eu escrevi o Blog até,agora. Hoje em dia continuo postando no Clube da Insônia, mas os fãs, os leitores que tinham acesso aos textos, queriam o material palpável, o físico.

Eu fiz o primeiro livro falando de questões sociais, políticas, existenciais, crônicas, contos e tudo. Depois a editora me perguntou como eu tinha um monte de contos, adultos, eróticos, nesse tema da sexualidade, se eu não queria aproveitar e lançar esse tema, por que tem uma certa carência no mercado editorial/literário, uma demanda por conta do porno-soft , que as pessoas estão lendo e se poderia entrar em algum meandro dessa história.

Esses textos não tem nenhuma roupagem de textos que vem sendo escritos nesse contexto mesmo, tipo Cinquenta Tons de Cinza. Na verdade é uma parte da minha personalidade que eu expresso em linhas e que contam experiências  reais; algumas que eu não vivi e que tenho vontades de viver; outras são fantasias; outras são vontades de viver, mas que na verdade nunca vou viver, e bem tranquilo sem culpa nenhuma, somos seres humanos, nascemos disso, mas que só recomendo para quem tem certo discernimento para poder ter contato com esse tipo de leitura. Não recomendo para adolescentes, jovens, pois é um conteúdo adulto.


Tem alguma parte desse livro que você mais se identifica e que você mais gosta?

Eu gosto, mas na realidade tem coisas que eu já não gosto, pois foram escritas há muito tempo atrás e minha escrita já melhorou muito pelo que eu escrevia há seis anos. Mas, tem um texto que eu escrevo na visão de uma mulher que na verdade seria a minha forma de ver como uma elass se comportariam; então esse texto é interessante, pois ele me levou a um lugar onde eu não posso ser.

Eu não sou mulher, não tenho hábitos de mulher, e ali eu tive que tentar traduzir o que sinto na primeira pessoa, escrevendo como mulher.  É um texto interessante. E tem textos que são mais românticos, sempre com abordagens diferentes do romantismo tradicional, tem escândalo, intensidade, as vezes vão usando uma linguagem mais pesada digamos assim. É um livro variado; não é para se ler cronologicamente, não é para você pegar o livro e ler na hora de dormir no quarto, sentado na cama, no ponto de ônibus ou de metrô e para ler; é para você poder estar no clima e escolher um texto e fazer a leitura.


 Quais são os assuntos que mais te inspiram e na realidade te revoltam como brasileiro? Pois você trata de temas polêmicos em seus posts e se são polêmicos devem ser discutidos. Vou dar dois exemplos um deles é sobre o Pastor Feliciano, sobre o qual você já inicia dizendo “… se você não conhece de estratégica política é melhor nem ler esse texto”.?

Na verdade tem um jogo nessa história: o que eu quis colocar ali é que as pessoas tem que parar de imaginar política como sendo uma coisa unilateral; a política nunca vai ser unilateral, ela interessa a vários poderes, várias frentes, então o que fica claro na verdade é que, quando o PT oferece para o Feliciano a Comissão de Direitos Humanos, sabendo que ele é um pastor fundamentalista, pois existem pastores que são muito mais flexíveis do que ele a gente não sabia qual era a razão disso e ficou muito claro quando a Comissão de Justiça, quer dizer você, dar à Comissão de Direitos Humanos a um pastor fundamentalista é criar uma polêmica tirando a atenção da Comissão de Justiça aos caras que foram condenados pelo mensalão.

Então é uma maneira muito fácil de manipular quem não entende de política. Até então o mensalão é uma coisa que não estava clara se de fato havia acontecido ou se era uma questão de articulação política. Depois que se verificou que o STF entrou no caso que foram verificadas as manifestações e isso se configurou como sendo de fato uma coisa real, não tem mais o que se justificar. Tem que ser punido. Ai não vou entrar para o âmbito partidário ou ideológico. Aí é o seguinte: cometeu um crime tem que pagar, então não é justo, dentro de toda essa escala, os caras pegarem um pastor e colocar para desviar a atenção, enquanto os mensaleiros foram parar na Comissão de Justiça que é justamente aquela que idealiza leis, que movimenta o judiciário, na qual eles mesmos podem se desviar, se criarem argumentos e mecanismos para isso. Se isso não ficou claro para as pessoas, o objetivo do post era mostrar que manobra política estava evidente.


Outro post que me lembro e que gostei muito mesmo, por se tratar de um amigo, foi a respeito do Chorão?

Sobre o chorão, mesmo que não fosse um colega meu, estamos falando de uma questão humana. A imprensa utiliza, as vezes , situações como estas para se beneficiar; não estava sendo usada a questão da droga de uma maneira como deveria ser, com que as pessoas pensassem e refletissem realmente sobre essa questão, mas como uma coisa totalmente sensacionalista, para vender mesmo a ideia que na minha opinião é um ideia que querem passar de forma errada.

A droga está presente na vida de todo mundo, de todos nós; tem mais drogas nas drogarias do que Mc.Donald’s. Na verdade existe a turma que usa remédio para emagrecer, para ir para academia, a turma que toma remédio para ansiedade, contra a depressão, existem pessoas que realmente estão doentes; existem pessoa que precisam de drogas que são medicamentos, todo o processamento químico que vai atuar no seu corpo devido a doenças. E existem as drogas ilegais, porque ela também movimenta um interesse político e financeiro que não diz respeito a grande maioria da sociedade que não conhece esse procedimento.

Quando o Chorão morreu, ele era um cara de 42 anos, maior de idade e sabia o que estava fazendo, ele pagava suas contas, sustentava a família dele, então ele tinha consciência dos riscos que ele estava passando.

Isso não deve ser usado como exemplo nem para o bem nem para o mal, cada um sabe o que faz da sua vida, tem que ter discernimento para isso, e o estranho foi que apareceram fotos do corpo, fotos internas do apartamento sendo que ninguém entrou lá antes da perícia, e podemos convir de que a perícia passou as fotos, e se a perícia vazou as fotos, ela não é perícia ela, é paparazzo, ela deixa de ser um instrumento da polícia de investigação para ser um instrumento da mídia sensacionalista de divulgação. Eu achei isso um desrespeito com a família, com os amigos, com o Chorão, e com os fãs que de alguma maneira estão ligadas a ele ,e que não vai melhorar em nada o debate sobre as drogas, porque expor o corpo de uma pessoa ou a substância que ela estava consumindo, não vai fazer ninguém refletir ou transformar o paradigma que vivemos hoje em dia.


 Qual a sua opinião sobre atitudes emergenciais que teríamos que ter no Brasil e por onde começar?

Na verdade precisamos de uma mudança estrutural. O Brasil está pautado em uma política que não privilegia em nenhum momento a autonomia do cidadão, quer dizer, ela não oferece ao cidadão condições para que ele se desenvolva como ser humano. Ele tem fome, precisa de educação, ele precisa de um hospital, de serviços básicos, para que dali ele possa se desenvolver como ser humano de se optar ou não em se desenvolver.

Primeiro, temos uma carga tributária no Brasil que é uma coisa absurda e que não é revertido em nada para a população; a população não tem acesso aos seus direitos, isso é uma estratégia de manipulação do povo. Dispositivos de justiça que aliviam e que sustentam a impunidade e ai não estamos falando apenas do âmbito político, isso é geral, os políticos refletem a parte que veio do povo, ele não veio de outro planeta, ele veio da população, então são os valores que são plantados. Na minha tese o cara não pode falar que um cara é corrupto e corromper um guarda. Por outro lado, o político estipula um valor de salário para o policial e dá a condição de terem duas armas e um distintivo e não dão condição para que ele tenha um salário digno, condições de sustento para a família dele, escola e educação para que ele não precise usar o poder dele, como policial, para extorquir os outros.

Então é uma pirâmide de estruturação tão grande para que possamos chegar a um determinado patamar , para que a população deixe de viver manipulada por não ter conhecimento e se torne o que somos hoje um país patriarcal, pois o governo é quem decide pelo cidadão. O que ele pode e o que não pode fazer, como se fosse uma babá, um garoto que não sabe nem onde ir. Uma coisa não anula a outra; a ação contra a fome é importante, e não podemos em 2013 estar na posição de 136º no ranque da educação mundial. É vergonhoso para um país que está se desenvolvendo. As pessoas não estão ali à toa, por isso temos que ter consciência na hora do voto, a pessoa não trocar o voto por qualquer coisa que não seja a consciência dela.

Na revolução cubana Che Guevara precisava resgatar pessoas principalmente para a guerra e que tivessem armas, e em um determinado momento apareceram diversas pessoas querendo lutar pelo país e todos tinham armas o que era muito importante naquela hora e a primeira pergunta dele foi: Quem ai sabe ler e escrever? Os que responderam sim entraram para o exército e os outros não foram recrutados. Qual sua opinião a respeito disso?

Quando você tem conhecimento, as pessoas podem te roubar tudo menos teu conhecimento; podem roubar seu imposto, colocar o dinheiro na cueca,podem roubar a sua casa. Então qual é o maior medo de um país corrupto de um governo corrupto, é de que seus cidadãos tenham conhecimento e saibam articular questionamentos. Ninguém que possui o poder gosta de ser questionado, porque está colocando as decisões que ele vai tomar sem precisar de aprovação ou não. Então, quando o Che escolhe quem sabe ou não ler e escrever ele está escolhendo quem sabe manusear a palavra, o poder, porque a arma pode ser útil em uma guerra para matar, para invadir um território, mas sem conhecimento, esse território irá ser tomado de volta, porque os outros também têm armas. Então a diferença é quem tem o conhecimento, aí vai manusear melhor qualquer tipo de conquista, sendo ela armada ou não.

Se você tem uma população ignorante, se você mandar ela “pro front”, ela vai te questionar o que não aconteceria ao contrário. A massa de manobra é feita de pessoas que tem opinião e nem sempre é exposta da maneira que tem que ser. É bom que as pessoas fiquem atentas principalmente o jovem, pois ele vai para a escola para cumprir o dever e nem sempre a escola é o melhor caminho.

Num país de analfabetos, de semianalfabetos, de analfabetos funcionais, a maior revolução que você pode fazer é ser inteligente, é ler, escrever, pois isso é que vai te dar armas para que você possa se desfazer do caminho que o estado está te oferecendo, que é o que seja mais um dentro da boiada..


Fala um pouco da banda Detonautas?

Estamos no processo de criação do próximo disco que deve ser lançado esse ano ainda, acredito que no segundo semestre; já tem oito ou nove músicas na internet para download gratuito. Estamos lançando uma música agora e vamos lançar o disco apenas para as pessoas terem o material físico.

O projeto com bandas independentes?

Estamos fazendo um trabalho em vários lugares com bandas independentes, em cidades pequenas onde o Detonautas nem chega as vezes pela estrutura. É uma maneira de você oxigenar o espaço de bandas que às vezes não tem onde mostrar o trabalho.

E o trabalho social “ Voluntários da Pátria”?

Estamos parados, pois nossa coordenadora está grávida, mas ao longo desse seis anos temos trabalhado muito: fazemos trabalhos em escolas, faculdades,em presídios, carceragens, shoppings sem distinção de classes. Abrimos espaços para pessoas serem protagonistas das suas ideias, abrindo palco para elas falarem o que elas pensam, não interessa que seja através de uma poesia, de uma música, uma leitura ou o apenas o desejo de pegar o microfone e falar.

O que queremos é que a pessoa se expresse, aprenda a se expressar, a usar o poder da palavra para mudar a situação que ela vive. É um trabalho que me dá muita satisfação de fazer, que me dá muito prazer. Depois fazemos debates, e aprendemos também, pois tem professores, alunos e muitas pessoas interessantes. Você nota que existem pessoas que tem vontade de conhecimento.


E os livros?

Desde pequeno tenho um Blog e recebia do Blog R$500,00 de uma livraria e eu pedia tudo em livro, então tenho uma biblioteca enorme.

Quanto ao hábito de ler?

Sempre estou lendo de 02 a 03 livros, por semana?

Agora por exemplo estou lendo a Biografia do Black Sabbath e Por quem os Sinos Dobram do do autor Ernest Hemingway

 

 

 

Lucas Machado

Lucas Machado

Escritor, profissional de Marketing e Comunicação.

Anterior

Ronaldo Fraga

Próximo

Comida di Buteco