DestaquesDestrinchando

Invenção brasileira

Invenção brasileira

 

Destrinchando

Invenção brasileira promete auxiliar motorista durante baliza com conforto e preço de venda imbatível
 
Ao encostar ou estacionar o veículo, produto pode exibir, entre outras informações, distância exata das rodas em relação à calçada, possibilitando alinhamento invejável.
 
Ainda que hajam várias propostas de técnicos para execução da baliza perfeita, sabemos que, na prática, tudo muda ao entrarem em campo a interpretação, percepção e emoção humanas. Quantas e quantas vezes experimentamos esse problema antes ou mesmo após obter CNH (Carteira Nacional de Habilitação) ou testemunhamos um amigo próximo empacar à exaustão neste tipo de manobra?
 
Não foi sem motivo que há não muito tempo, em programa televisivo de entretenimento, uma figura pública, ao ser desafiada pelo repórter a executar uma baliza, em face da incerteza do resultado, meio que se esquivou dizendo estar compromissada e não se submeteu ao teste. Mas ela e tantos outros não estão sozinhos.
Há cerca de 7 anos, o mineiro Paulo Gannam já tinha observado o “ranço” que a espécie humana parecia ter com a baliza. “Tinha acabado de tomar um cafezinho, comecei a andar, e ouvi ao meu redor algo que de cara havia parecido ser uma explosão. Quando fui checar, uma senhora acabara de estourar as calotas na calçada, ficando roxa de vergonha”, lembra.
A partir daí Gannam lembrou de suas próprias trapalhadas e das de sua mãe, e observou que os sensores de para-choque não serviam para nortear o motorista nesse tipo de manobra lateral. Também reparou que funções semiautônomas e jogos de câmeras eram e, ainda hoje, são muito caros e não tão eficientes quanto prometem ser.
 
Pensando nisso, concebeu e patenteou um jogo de sensores que pode ser instalado em cada uma das regiões próximas às rodas, para facilitar a vida de quem quer conforto e segurança ao fazer baliza ou, simplesmente, ao encostar o veículo – seja ele leve, seja ele pesado.
“Eu vim para que todos tenha roda, que todos tenha roda plenamente”, brinca o inventor, fazendo referência à capacidade que o produto teria de manter rodas, calotas e pneus livres de arranhões, manchas e rupturas.
“Está na hora de as pessoas terem uma ferramenta barata e prática para estacionar. Espero que com este produto no mercado, qualquer motorista, de qualquer veículo, possa dar adeus aos micos e prejuízos causados pelo contato de pneus, rodas e calotas com o meio-fio”.
Neste vídeo, o inventor apresenta um produto mínimo viável para demonstrar o funcionamento numa situação de proteção de uma das rodas: 
 
 
O sensor apresentado no vídeo pode estar vinculado a um aplicativo de smartphone, o que permitiria ao motorista receber dados de distância e-ou instruções mais específicas durante a manobra com base na captação de dados espaciais do veículo em relação à calçada. “As possibilidades construtivas são inúmeras para o desenvolvimento da solução final”, garante o inventor mineiro.
Seu objetivo é encontrar uma empresa fabricante de sistemas automotivos capaz de investir no invento para implementá-lo industrial e comercialmente
 
Conheça mais
Leia mais:
http://www.destrinchando.com.br/solucao-e-nao-problema/
Lucas Machado

Lucas Machado

Escritor, profissional de Marketing e Comunicação.

Anterior

Solução e não problema

Próximo

@MACARON._ SLIMESS