DestaquesDestrinchandoSem categoria

Império dos Faraós

Império dos Faraós

Crédito: Alfredo Savi

Destrinchando

Vamos conhecer mais um pouco do Egito? Então se prepare para enfrentar o calor em forma de fotos e palavras e, em troca, desfrutar dos mais curiosos e antigos templos. Conhecer seus Deuses e mistérios, lugares lindos e admirados por quem ama e aprecia a cultura milenar de beleza sobrenatural e recheada de mistérios.

Ao sair do Cairo sobrevoando o Nilo pode se ter uma ideia clara do que os egípcios passam diariamente. Para a direita e a esquerda apenas o deserto. O clima árido e seco é predominante em todo o território deste país, sofrido pelo tempo, mas marcado por enigmas e mistérios.

Fundado em 3.150 A.C pelo Rei Menés, com quase 85 milhões de habitantes, tumbas e templos dão o ar do que vamos ver pela frente. O maior Reinado foi o de Ramsés II, que ficou cerca de 50 anos no poder.

Um Império gigantesco dividido entre o Norte e o Sul. Caracterizado pelos chapéus de seus imperadores que dividiam em duas as regiões dominadas.

A sua república foi proclamada em 18 junho de 1953, com 90% da população Islâmica que se estende no curso do Rio Nilo de Alexandria a Aswan, onde se encontra o Lago Nasser, que é uma das mais importantes obras da África do norte, e represa a água de todo o Nilo, do Sudão à fronteira de ABU SIMBEL, até Aswan.

Vamos então do Sul ao Norte:

Em Abul Simbel

Este é sem dúvida um dos mais importantes monumentos da história da humanidade, depois de centenas de anos sob areia, arqueólogos europeus foram ao Egito descobriram o templo e levaram a maioria de seus tesouros para a Europa. Assim foi criado o Museu de antiguidades Egípcias de (Tourin) uma das cidades industriais mais importantes da Itália. Pesquisas revelam que seu acervo conta com cerca de 6.500 obras e 26.500 em estado de reserva.

Sem dúvida essa foi uma das maiores e interessantes descobertas, não só pela magnitude. Mas por uma ação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), na década de 1960 o templo teve que ser removido, sendo construído depois um enorme templo.

Existem dentro deste templo 4 grandes estátuas, uma do faraó Ramsés II e as de três deuses: Ra-Harakhte, Ptah e Amon-Rá. O templo foi construído de modo a que, duas vezes por ano, em 21 de Fevereiro (data do nascimento do faraó), e em 22 de Outubro (data da sua coroação), o sol entraria e iluminaria a estátua do Faraó. Depois da construção do lago Nasser, o templo teve que ser erguido a 66 metros de altura devido à inundação, e o sol que iluminava a estátua, passou a ter esses dias de iluminação da estátua alterados. Uma das mais fantásticas obras de engenharia da humanidade!

Em Kom Ombo

Templo dedicado ao Deus crocodilo e ao Deus Falcão. Fica a beira do Nilo e foi o templo que mais sofreu alterações devido a terremotos e inundações.

Em Luxor

Saindo em voo para Luxor, a 650km ao sul do Cairo, mais uma vez temos a visão do Nilo cercado pelo deserto,  uma vista maravilhosa e impressionante. Luxor é a cidade onde estão os famosos e gigantescos templos de Luxor e Karnak, que mostram uma ideia do tamanho do poder dos Faraós naquela época.

Com 270 metros de comprimento e 70 de altura, dedicado ao Deus Amon, foi encoberto por areia por anos e tomado por árabes, que acharam uma base firme no chão e ergueram uma mesquita que destoa da beleza do monumento.

Crédito: Alfredo Savi

A entrada do templo tinha dois obeliscos, um deles foi levado a Paris e está na Praça de La Concorde.

Quase dois mil anos foram necessários para a conclusão deste que é o maior templo do Egito: são 134 colunas de 21 metros de altura, na parte superior o formato de papiro (planta da região que tem o formato de pirâmide) com cerca de 7 metros de diâmetro em vários locais as cores originais podem ser claramente vistas.

Os dois templos Karnak e Luxor são ligados por uma avenida, um fica exatamente na direção do outro, e eram compostos nas laterais de ambos os lados por esfinges com cabeça de carneiros.

Crédito: Alfredo Savi

Crédito: Alfredo Savi

Dicas úteis

Como chegar: não temos voo direto do Brasil para Egito, assim devemos passar pela Europa ou Oriente médio.

Visto: necessário, pode ser tirado no aeroporto do Cairo ao chegar, mediante pagamento de U$25,00.

Tempo: de Setembro a março é a melhor época para ir, com temperatura mais amena. Evite ir durante o verão, quando a temperatura beira os 48 graus.

Moeda: Dólar ou Euro são aceitos, porém o dólar e a melhor opção.

Leia mais:

 

Lucas Machado

Lucas Machado

Escritor, profissional de Marketing e Comunicação.

Anterior

O fim da avianca pode alavancar preços de passagens aéreas

Próximo

Exposição Paulo Whitaker