Alfredo Savi

Império dos Faraós

Vamos conhecer mais um pouco do Egito? Então se prepare para enfrentar o calor em forma de fotos e palavras e, em troca, desfrutar dos mais curiosos e antigos templos. Conhecer seus Deuses e mistérios, lugares lindos e admirados por quem ama e aprecia a cultura milenar de beleza sobrenatural e recheada de mistérios.

Ao sair do Cairo sobrevoando o Nilo pode se ter uma ideia clara do que os egípcios passam diariamente. Para a direita e a esquerda apenas o deserto. O clima árido e seco é predominante em todo o território deste país, sofrido pelo tempo, mas marcado por enigmas e mistérios.

Fundado em 3.150 A.C pelo Rei Menés, com quase 85 milhões de habitantes, tumbas e templos dão o ar do que vamos ver pela frente. O maior Reinado foi o de Ramses II, que ficou cerca de 50 anos no poder.

Um Império gigantesco dividido entre o Norte e o Sul. Caracterizado pelos chapéus de seus imperadores que dividiam em duas as regiões dominadas.

A sua república foi proclamada em 18 junho de 1953, com 90% da população Islâmica que se estende no curso do Rio Nilo de Alexandria a Aswan, onde se encontra o Lago Nasser, que é uma das mais importantes obras da África do norte, e represa a água de todo o Nilo, do Sudão à fronteira de ABU SIMBEL, até Aswan.

 

Vamos então do Sul ao Norte:

 

Em Abul Simbel

Este é sem dúvida um dos mais importantes monumentos da história da humanidade, depois de centenas de anos sob areia, arqueólogos europeus foram ao Egito descobriram o templo e levaram a maioria de seus tesouros para a Europa. Assim foi criado o Museu de antiguidades Egípcias de (Tourin) uma das cidades industriais mais importantes da Itália. Pesquisas revelam que seu acervo conta com cerca de 6.500 obras e 26.500 em estado de reserva.

Sem dúvida essa foi uma das maiores e interessantes descobertas, não só pela magnitude. Mas por uma ação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), na década de 1960 o templo teve que ser removido, sendo construído depois um enorme templo.

Existem dentro deste templo 4 grandes estátuas, uma do faraó Ramsés II e as de três deuses: Ra-Harakhte, Ptah e Amon-Rá. O templo foi construído de modo a que, duas vezes por ano, em 21 de Fevereiro (data do nascimento do faraó), e em 22 de Outubro (data da sua coroação), o sol entraria e iluminaria a estátua do Faraó. Ddepois da construção do lago Nasser, o templo teve que ser erguido a 66 metros de altura devido à inundação, e o sol que iluminava a estátua, passou a ter esses dias de iluminação da estátua alterados. Uma das mais fantásticas obras de engenharia da humanidade!

 

Em Kom Ombo

Templo dedicado ao Deus crocodilo e ao Deus Falcão. Fica a beira do Nilo e foi o templo que mais sofreu alterações devido a terremotos e inundações.

 

Em Luxor

Saindo em voo para Luxor, a 650km ao sul do Cairo, mais uma vez temos a visão do Nilo cercado pelo deserto,  uma vista maravilhosa e impressionante. Luxor é a cidade onde estão os famosos e gigantescos templos de Luxor e Karnak, que mostram uma ideia do tamanho do poder dos Faraós naquela época.

Com 270 metros de comprimento e 70 de altura, dedicado ao Deus Amon, foi encoberto por areia por anos e tomado por árabes, que acharam uma base firme no chão e ergueram uma mesquita que destoa da beleza do monumento.

A entrada do templo tinha dois obeliscos, um deles foi levado a Paris e está na Praça de La Concorde.

Quase dois mil anos foram necessários para a conclusão deste que é o maior templo do Egito: são 134 colunas de 21 metros de altura, na parte superior o formato de papiro (planta da região que tem o formato de pirâmide) com cerca de 7 metros de diâmetro em vários locais as cores originais podem ser claramente vistas.

Os dois templos Karnak e Luxor são ligados por uma avenida, um fica exatamente na direção do outro, e eram compostos nas laterais de ambos os lados por esfinges com cabeça de carneiros.

 

Impressionante fachada do templo de Karnak. Pode se ter uma ideia da grandiosidade.

 

Karnak era um dos maiores templos do meio Egito e também o mais importante dedicado aos deuses de Tebas, Amon, Mut e Khonsu  que centralizavam o centro religioso da época e chegaram a ameaçar  a própria instituição faraônica devido a importância dada aos deuses da época.

 

 

Em Deir El Bahari

Um complexo fixado em uma falésia gigantesca que impressiona pelo seu tamanho e imponência, que abrigam várias tumbas ao redor e onde esta a Tumba da rainha Hatchepsut, que se transformou em homem para assumir o trono.

O maior problema dessas tumbas são sem dúvida os ladrões, que saquearam todas elas, não tendo nenhum tesouro restante.

 

 

No Nilo

O bom deste passeio, além dos fantásticos templos, é sem dúvida o cruzeiro pelo Nilo, que dura quatro dias e tem início em Luxor chegando em Aswan. São inúmeros os barcos que fazem esse trajeto de ótima qualidade, com cabines confortáveis e com pensão completa. Nos decks dos navios são servidos no fim da tarde cafés e chás deliciosos onde podemos ficar apreciando as paisagens maravilhosas ao por do sol.

Refrescar no Nilo é uma das maiores emoções.

Barcos típicos que levam ao povoado Núbio.

Dicas úteis

Como chegar: não temos voo direto do Brasil para Egito, assim devemos passar pela Europa ou Oriente médio.

Visto: necessário, pode ser tirado no aeroporto do Cairo ao chegar, mediante pagamento de U$25,00.

Tempo: de Setembro a março é a melhor época para ir, com temperatura mais amena. Evite ir durante o verão, quando a temperatura beira os 48 graus.

Moeda: Dólar ou Euro são aceitos, porém o dólar e a melhor opção.

Alfredo Savi

Alfredo Savi

o poder das palavras
Anterior

O poder das palavras

capa
Próximo

Boyd Coddington