Lucas Machado

Auá

Auá

 

Débora Ferreira Por Lucas Machado

Imagine uma coleção de roupas assinada por artistas plásticos ou até mesmo indígenas, roupas que trazem historia pra contar, contemporaneidade, matéria prima de qualidade e responsabilidade social.

Auá, marca de Belo Horizonte está na praça há 13 anos. Com o pé no chão e identidade forte, vem crescendo e ganhando o mercado nacional e internacional. Apesar não abrir mão de suas ideologias e responsabilidade social, possui grandes parcerias, artistas plásticos contemporâneos como: Fernado Luchesi, Marcus Coelho Benjamim.

A mais recente coleção Topomorfose, contou com estampas retiradas das obras da artista brasileira Heloísa Crocco, que tem como matéria prima a madeira utilizada como carimbo para suas telas.


O ateliê da Auá funciona junto com a loja, assim trazendo uma atmosfera mais intima e fazendo uma ponte entre consumidor e criadores. As coleções são feitas de “roupa de peso e que trás uma história pra contar”, diz a estilista da marca, Laura Guerra. Utilizando apenas matérias primas do Brasil, existe uma beleza por trás da estética e da modelagem, a roupa tem um contexto que vai além da estética brasileira e minimalista.

Desde o inicio, a marca trás em seu DNA o amor pelo Brasil e povo brasileiro, os índios e sua cultura. Em todas as coleções, apresentam características da etnia, como detalhes, acessórios e a maioria das peças com estampas.

A pareceria com a tribo indígena Maxacali, que fica na divisa do estado de Minas com Bahia. É um trabalho de identidade continuo que a marca desenvolve.

Para a coleção de Verão 2015 a equipe Auá, junto de antropólogos e FUNAI, foi até o estado de Roraima visitar a tribo indígena dos Yekuana. Usando miçangas, criando peças como colares e tangas, que além de ter um belo acabamento trazem cores vibrantes com ótimas combinações.

“O shape escolhe a pessoa” é o que afirma Laura, ao ser perguntada como ela une o seu estilo com a identidade de seus parceiros.Apear de ter um estilo mais “japonista”, intitula sua modelagem, que também é atemporal. Dessa com aspectos mais minimalistas e riqueza de estampas, evidenciam os desenhos indígenas.

Com loja própria em Belo Horizonte, e peças espalhadas mundo afora, a Auá cria em cada coleção uma linha de peças para homens e crianças.

Buscando ampliar e difundir o seu conceito, a marca tem uma linha casa, cadernos de nota no estilo Moleskine, e uma parceria em desenvolvimento de design para pranchas de surf. Quer conhecer mais sobre essa marca, siga no instagran @aua_atelier e o site artaua.com.

 

Lucas Machado

Lucas Machado

Escritor, profissional de Marketing e Comunicação.

Anterior

Desfile Homem

Próximo

Cupcake