DestaquesDestrinchando

Exposição Cor Opção – Décio Noviello

Exposição Cor Opção – Décio Noviello

Exposição Cor Opção – Décio Noviello

Destrinchando

O artista mineiro Décio Noviello é o convidado da Fundação Clóvis Salgado para integrar o Programa ARTEMINAS e ocupar a Galeria Genesco Murta que foi requalificada e, a partir desta exposição, terá a entrada pelo Jardim Interno. Com a exposição Cor Opção, Noviello apresenta obras que abrangem suas produções desde a década de 1960 até trabalhos inéditos produzidos este ano. A curadoria é de Augusto Nunes-Filho, com colaboração do artista plástico Miguel Gontijo e da artista e cientista Maria Noviello (filha de Décio).

Exposição Cor Opção – Décio Noviello 1

Desenhista, cenógrafo, figurinista, gravurista, e pintor, Décio Noviello é nome importante da arte pop brasileira. Desde o início dos anos 60, o artista já produzia obras que pautavam relacionamentos humanos com um viés político e contestador, abordando os movimentos sociais, os meios de comunicação e a cultura de massa, e as dualidades inerentes ao ser humano – a solidão em meio à multidão, a repressão e liberação sexual, o gozo e o proibido.

A expressiva produção artística mineira é o destaque das galerias do Palácio das Artes durante o programa ARTEMINAS, de agosto a outubro de 2018. Norteada pelo mote roseano “rumozinho forte das coisas”, as exposições buscam explorar a força da arte manifesto.

Exposição Cor Opção – Décio Noviello 2

Cor, identidade e gêneros – Aos 89 anos, Noviello ainda trabalha com estudos sobre cor e a diversidade dos materiais, trazendo novas técnicas artísticas, gerando pinturas-objetos e questionando não apenas os limites do suporte, mas também sua identidade e os gêneros. O artista fez história em Belo Horizonte com a produção de cenários e figurinos carnavalescos, produções operísticas, e performances ligadas a momentos decisivos de formação da arte contemporânea nacional. Durante a abertura da exposição Cor Opção, Noviello reviverá uma de suas obras mais emblemáticas: o happening que compunha a mostra Do Corpo à Terra, parte da inauguração do Palácio das Artes realizada em abril de 1970. Ele será refeito no Passeio Niemeyer, espaço que liga o Palácio das Artes ao Parque Municipal.

Formado na Academia Militar das Agulhas Negras (Rio de Janeiro), Noviello utilizou material do Exército em sua intervenção: granadas que soltam fumaças coloridas e objetivam identificar no ar as posições dos pelotões em terra. Com a intenção de “colorir a paisagem”, o artista soltou as granadas em diferentes locais do Parque Municipal, e antecipou o que os críticos e curadores contemporâneos chamam de “pintura em campo expandido’’.

Segundo Maria Noviello, realizar a performance novamente no espaço do Palácio das Artes é uma forma de rememorar uma importante passagem da história da arte brasileira. “As obras de Décio buscam colorir o espaço, são um manifesto em prol da felicidade. Reviver Do Corpo à Terra é uma maneira de homenagear a vanguarda artística nacional e trazer questionamentos pertinentes à nossa realidade atual”, conta.

Com curadoria de Frederico Morais, as intervenções e performances que aconteceram no Parque Municipal em 1970 contaram com a participação de artistas plásticos como Cildo Meireles e Artur Barrio, e faziam referência à situação política brasileira, período de maior enrijecimento do Regime Militar (1964-1985). As obras eram uma alusão à onda de repressão, torturas e assassinatos que ocorriam no país, e configuraram um dos maiores eventos de arte protesto contra a ditadura no Brasil.

A exposição Cor Opção contará também com as séries de serigrafias Violência, que trata da Guerra do Vietnã, e Erótica, grande marco da produção pop na carreira do artista. Já a série Curral del Rei trata da exploração mineral na Serra do Curral, e segundo Maria Noviello, “utiliza da técnica barroca de produção artística e homenageia o folclore brasileiro”. Poder e Velocidade, que também fazem parte da mostra, tratam da rapidez do cotidiano e da efemeridade da vida. Já a inédita instalação, que leva o nome da exposição, traz para o público a pluralidade e a vivacidade da produção do artista, que exibirá novas experimentações com fumaças coloridas.

Décio Paiva Noviello – Nascido em São Gonçalo do Sapucaí, Minas Gerais, Noviello é pintor, gravador, desenhista, cenógrafo, figurinista carnavalesco e professor. Em paralelo às suas atividades artísticas, lecionou desenho, geometria, matemática e topografia em colégios militares; exerceu o cargo de diretor artístico da revista da Academia Militar de Agulhas Negras; e trabalhou como ilustrador da Biblioteca do Exército. Durante 20 anos atuou como professor de história da indumentária no curso de estilismo na UFMG. Cidadão honorário, personalidade do carnaval e da cena teatral de Belo Horizonte. É representante da pop arte e da vanguarda brasileira; com participações e prêmios em vários salões, bienais e exposições no Brasil e no exterior.

* Happening – Forma de expressão das artes visuais. Apesar de definida por alguns historiadores como um sinônimo de performance, o happening é diferente devido ao envolvimento e participação direta ou indireta do público que o norteia.

Exposição Cor Opção – Décio Noviello

Data e horário de abertura: 3 agosto, às 19h

Período expositivo: 4 de agosto a 21 de outubro de 2018

Local: Galeria Genesco Murta

Endereço: Av. Afonso Pena, 737

Horário: De terça-feira a sábado, das 9h às 21h; domingos, das 16h às 21h

Leia mais:

Carros e o rock and Roll

Coachella

 

Destrinchando

Destrinchando

Tratamentos estéticos no inverno
Anterior

Tratamentos estéticos no inverno

Gordura visceral tratamento
Próximo

Gordura visceral tratamento