DestaquesDestrinchando

Estranha mania

Estranha mania

Estranha mania

Por Amanda Ferr

Estranha mania do caos.

Sabe aqueles dias em que tudo parece estar no lugar? Pois é. Hoje é um daqueles fatídicos dias em que me encontro confortavelmente equilibrada em meu eixo.

Nada parece afetar minha calma, transpirar ou proclamar palavrões. E por tudo isso penso já um tanto assustada: haveria algo de estranho no ar?

Uma ameaça de bomba nuclear? O holocausto? Um tsunami que ensaia tragar Copacabana? A invasão dos ETs? Será que estamos tão habituados ao caos, que quando algo parece um pouco mais ameno que o habitual já nos causa suspeitas?

Será que conforto passou a significar uma licença para porte de armas? Será que não sabemos mais apreciar um minuto de paz sem intuir uma guerra iminente?

Porque será que sempre que alguém nos sorri já pensamos em troca de favores? Uma menina com um homem mais velho só pode estar interessada em seu dinheiro..

Se fulano está tão cordial, alguma coisa está tramando. Beltrano nunca dá ponto sem nó. E por aí vai…

Estamos todos tão armados, tão preparados para o pior, tão treinados para o sofrimento, que o que nos espanta não é mais as centenas de mortes banais e cotidianas, mas a falta delas.

Farpas por todos os lados, labirinto de facas, guerras do tráfico, polícia brincando de bandido, sexo vendido à preço de bananas, bala perdida, filhos que planejam a morte dos pais e pais que matam os filhos.

Cuidado. Abaixe-se. Desvie. Se tranque. Feche os vidros do carro. Blinde o coração. Tenha um cão treinado para matar. Ande com dois seguranças a tiracolo.

Não aceite nada de ninguém. Não fale com estranhos. Não acredite na gentileza das pessoas. Não se envolva. Divida em prestações a confiança que depositaram em você.

Tenha um spray de pimenta sempre à mão. Aprenda artes marciais e se for preciso atire e depois alegue legítima defesa. Você acordou tranquilo? Atenção, aí tem…

 

Destrinchando

Destrinchando

Anterior

Risoto de Funghi

Próximo

Equilíbrio e Gratidão