EntrevistasLucas Machado

Victor Dzenk

Victor Dzenk

Victor Dzenk

Jornal Estado de Minas

Por Lucas Machado – Fotos Carlos Hauck

Aos 15 anos, o estilista belo-horizontino Victor Dzenk fez seu primeiro curso de moda no Senac, onde passou a colocar suas primeiras técnicas para a proporção do croqui. Aos 19, morou em Paris, estudou na Esmod — primeira escola de moda da França, fundada em 1941 — de 1989 a 1991, mas nos disse que o que: “Não existe nada igual à escola da vida. “Aprendi muito na prática, trabalhava tom tecidos, em confecções, antes de ter a minha própria. O fator didático foi muito importante, mas, na minha opinião, a carreira do estilista é muito baseada na vivência, tem que ter muito chão de fábrica”.

 

<Victor Dzenk usa>

Camisa Victor Dzenk Coleção Verão Masculino 2013
Calça Prada
Sapato Louis Vuilton
Colares Coleção pessoal de joias
Relógio Tissot
Blusa Verde Zara

 

Quando não está trabalhando, Dzenk adora ver filmes em casa. Gosta de ler, apesar de ser um pouco ansioso quanto à leitura — acha mais interessante a imagem do que o conteúdo. Na culinária, está descobrindo novas curiosidades e as riquezas da gastronomia tailandesa, no entanto, gosta mesmo é da comida brasileira. Segundo o estilista, sua vida social é bem leve, muito voltada para o trabalho.

Perguntamos sobre o Fashion Rio, do qual ele sempre participa, e as influências de seu trabalho. “Dentro do processo da moda você não deve se convidar, deve ser convidado. Meu estilo é praiano, para a mulher que vai para o sol e vem do sol. Minha inspiração é a beleza e a sensualidade feminina”. Comenta. Para finalizar deixou escapar uma das suas fórmulas do sucesso: “Tem que ser um pouco ousado, com equilíbrio e humildade. Essa é a receita do bolo”. Dispara.

 

Destrinchando

Destrinchando

Anterior

Wéber de Pádua

Tetê Vasconcelos
Próximo

Tetê Vasconcelos