DestaquesDestrinchandoEntrevistas

Entrevista – Rafaela Kodama

Entrevista – Rafaela Kodama

Entrevista - Rafaela Kodama

Lucas Machado entrevista a ilustradora paulista Rafaela Kodama. Confira;

A Ilustradora, formada em Comunicação social, Publicidade e Propaganda, Rafaela Pradella Kodama, 23anos. Nasceu na cidade de Garulhos – São Paulo. Seus primeiros registros que foram guardados, são da época da pré escola, mas antes disso, costumava contornar com caneta os personagens da Turma na Mônica nos gibis, até o dia que tentou reproduzi-los no papel. Kodz como é conhecida, deu a seguinte entrevista para o nosso site. Confira;

Como você descobriu sua vocação para desenhar?

Descobri essa palavra “vocação” quando me disseram que eu tinha, porque desenhar pra mim sempre foi uma atividade diária que eu aprendi a gostar antes mesmo de aprender a ler e escrever. Nunca encarei como uma habilidade especial ou vocação, era só minha ocupação preferida.

O que mais te inspira para criar?

Quando tenho bloqueio de ideias, meu hábito é caminhar na rua. Gosto de observar as pessoas, ouvir conversas alheias e quando tenho oportunidade, conversar com quem não conheço (geralmente em transportes públicos). Relações, relacionamentos, minhas memórias e de outras pessoas, experiências e cotidiano são minhas inspirações.

O que toca na sua playlist?

Na minha playlist tem os clássicos R&B dos anos 90/00 e funks norte americanos. Tem Jazz (adoro Chet Baker).Tem todos os hits clássicos de filmes antigos, todos sempre me empolgam (ex: The Commodores, Player, Bee Gees, Rick Astley, Stevie Wonder, Marvin Gaye, Abba, Cindy Lauper, R.E.M …).

Pink Floyd, Queen, Radiohead, Red Hot Chilli Peppers, Madonna, Nirvana, Nina Simone, Blondie, Amy Winehouse, Frank Ocean, Rihanna, Alessia Cara, Gorillaz […] Além de música gospel, amo músicas francesas, italianas, japonesas. Apesar de ouvir várias músicas…quando desenho, costumo ouvir uma única música repetidas vezes.

Na sua cartela de cores, qual cor mais te agrada?

Meus desenhos são preto e branco, mas eu adoro cores, inclusive é o que mais me fascina em filmes – paleta de cores característica. Rosa e laranja vibrantes chamam minha atenção.

Que tipo de livros mais te chamam a atenção?

Leituras que me interessam são dramas históricos, romances, fantasia.

Filmes?

Os filmes do Kubrick, Inarritu, Almodóvar, Tarantino, Lars Von Trier, Wes Anderson, Edgar Wright – nunca me decepcionam. Especialmente Edgar Wright e Tarantino, são os que mais admiro.

Por que Kodz?

Kodz surgiu na época da escola, quando estava no primeiro ano do colegial, foi um amigo que criou e virou apelido. Durante toda minha vida escolar poucos me chamaram pelo primeiro nome “Rafaela”. Me chamavam de Kodama, Kodaminha ou Pradella. Meu amigo aproveitou o Kod do meu sobrenome Kodama e acrescentou um Z, talvez a ideia na época foi apenas uma sonoridade que ele achou interessante… E esse apelido espalhou rápido. Lembro que escrevia Kodz com giz em todas as lousas do colégio na hora do intervalo, mas só comecei a assinar meus desenhos como Kodz em 2012 (no primeiro ano de faculdade).

O que mais gosta de fazer nas horas vagas?

Gosto de me exercitar (academia), caminhar, correr, viajar sempre que possível, e meu passatempo preferido é Lego.

Qual o melhor livro?

Guerra e Paz – Liev Tolstói (todos do Liev Tolstói)

Melhor ilustrador brasileiro?

Não penso em apenas um que considero melhor, particularmente admiro muito o traço característico do Gabriel Bá, as ilustrações do Ademir Martins, da Eva Furnari e do Ziraldo.

Melhor ilustrador pra você?

O mestre Hayao Miyazaki

Se você ganhasse ingressos para primeira fila quem você queria ver?

Show do Mcfly, porque marcou minha adolescência. Foi a primeira e única banda que colei pôster no quarto e que me fez chorar não necessariamente pela emoção das músicas, mas porque era uma fã apaixonada.

Qual acontecimento histórico você gostaria de ter participado?

A criação do mundo, em slow motion

Qualidade mais importante do ser humano?

A capacidade de amar

O que podemos esperar do seu trabalho daqui pra frente?

Mais do que aperfeiçoar minha técnica, minha expectativa é conseguir contar histórias por meio dos meus desenhos e que as pessoas que acompanham meu trabalho possam se tornar tão íntimas dele quanto eu.

Fale um pouco da sua experiência de ter sido convidada para ser colunista do site DESTRINCHANDO?

É a novidade mais recente, por isso ainda não tenho em mente uma projeção, mas já confio que será uma experiência muito interessante e está sendo uma oportunidade incrível expor minhas ideias para pessoas que se importam com ideias, sejam simples ou complexas.

KODZ – Faz parte do nosso time de colaboradores e a partir deste mês, você verá além do desenho do fundão do site suas matérias estampadas rodando por aqui. Seja bem vinda kodz temos certeza que você vai arrebentar !!

Leia mais:

Supla

Gabriel Pensador entrevista

 

Lucas Machado

Lucas Machado

Escritor, profissional de Marketing e Comunicação.

Anterior

Global Peace

Próximo

Semana da Moda de Nova York 2017