DestaquesDestrinchando

Egito

Egito

Por Alfredo Savi

Foto: Alfredo Savi

Antes de chegar, o impressionante bate à porta! Sobrevoar o continente africano, vendo o Mar Mediterrâneo e o Deserto do Saara é uma sensação louca.

Por muitos anos, tive uma vontade gigante de ver as famosas pirâmides do Egito com seus mistérios, lendas e imponência. Nunca viajo na janela, já que meu lugar preferido é corredor. Mas ao decolar em Barcelona, como o voo estava vazio e haviam várias janelas disponíveis, lá fui eu dar uma espiada… E o que vejo? Uma vista Top!

Egito

Ao pousar no aeroporto do Cairo uma sensação mística toma conta de tudo. Mas a primeira impressão é de uma cidade suja e triste, pela ausência total de cores nos prédios e monumentos, além de aparentar ser uma cidade suja. Isso é devido às tempestades do deserto que descascam toda e qualquer pintura feita nos edifícios e a poeira vinda de areia com os ventos se acomodam nas calçadas juntamente com lixo normal e se acumula, ficando muito difícil de e passando a impressão de ser muito mais sujo que o normal .

Assim que saímos do aeroporto, uma surpresa básica: “wellcome “do trânsito caótico do Cairo! Nossa van entrou na traseira de um ônibus que circulava sem luz de freio. Uma batida feia que me deixou uma semana cor dor no pescoço, mas isso não me tirou a vontade de debulhar essa cidade fascinante!!!

O trânsito é uma particularidade no Egito, principalmente no Cairo, onde não há regras. Buzinar é uma forma de chamar atenção, um barulho que chega a pirar!!!

Depois de aguentar uma temperatura de 40 graus, que pode chegar aos 47 graus no verão, chegamos à  beira do Rio Nilo. Nosso hotel imponente tinha uma vista maravilhosa para o Museu do Cairo e a praça Tahin, onde se concentrou a manifestação da primavera árabe.

Cairo, a maior cidade Árabe, fundada em 116a.C., tem nove milhões de habitantes, população  que ficou sob governo de um ditador por 30 anos. A cidade também tem um clima quente e desértico.

Já no primeiro dia, o city tour te leva a uma visita maravilhosa dentro da cidade, passando por um bairro residencial e outro cheio de comércio. Podemos avistar as pirâmides, uma das maiores e mais belas obras feitas pelo homem, que se impõem pela grandeza e pela beleza. São três enormes pirâmides.

Já na entrada, vale a pena comprar um bilhete extra para poder entrar dentro da câmara mortuária das pirâmides. Cada dia uma está aberta e o bilhete custa cerca de U$10,00 a mais que no normal, mas vale o investimento: é uma experiência única conhecer o interior de uma delas.

Logo após a visita às pirâmides, uma visita que não temos como não fazer é a do mercado  Khan al-Khalili onde se encontra todo tipo de artesanato egípcio, caixas de marchetaria, jarras de vidro soprado, peças em madeira, luminárias em mosaicos, enfim, uma infinita quantidade de artigos coloridos que tem um preço justo.

No dia seguinte, uma das melhores visitas no Cairo é o Museu. Visitar Tutankhamon e sua tumba completa é uma experiência inesquecível. Lá podemos ver não somente o sarcófago, mas a máscara, o trono e as joias cravejadas em pedras preciosas, uma verdadeira relíquia arqueológica. O Museu tem um rico acervo, porém está mal cuidado, com pouca segurança, bastante antigo e sem investimentos, o que é uma pena já que é um dos mais importantes em antiguidades egípcias.

928-1024x687                                                           Muuseu do Cairo

Ao norte da capital está localizado a Mesquita Mohamed Ali de onde  se pode ver a cidade do alto, uma bela vista, sem falar da grandeza de sua construção de 1830 com acabamento em alabastro.

Destrinchando

Destrinchando

Anterior

O poder da Insônia

Leo Bike
Próximo

Leo Bike