DestaquesLucas Machado

Dia Mundial da Criatividade

Dia Mundial da Criatividade

dd88d8e7165382deb5914c549f3cafd4

Alessandra Alkimim por Lucas Machado

Criativo, eu?

Você nasceu criativo? Acredita nisso? Eu acredito.

Nascemos criativos sim. Mas ao longo da vida nossa criatividade vai sendo massacrada por várias situações, ambientes, escolas, trabalho, família, pessoas…

Já dizia o meu guru e grande educador Sir Ken Robinson, um dos maiores especialistas internacionais em desenvolvimento da criatividade, que deixamos de ser criativos ao crescer: “As crianças arriscam, improvisam, não têm medo de errar.

Não que errar seja sinal de criatividade, mas está claro que não se pode inovar se não se está disposto a errar, e nós adultos penalizamos o erro, o estigmatizamos na escola e na educação; e é dessa forma que as crianças se afastam de sua capacidade criadora”.

Para Petra Maria Pérez, professora de Teoria da Educação e membro do Instituto de Criatividade e Inovações Educacionais da Universidade de Valença, Espanha: “Existem numerosos estudos que assinalam que a criatividade das crianças decresce com os anos de permanência no sistema educacional, de forma que, com o tempo, a curiosidade e a busca criativa cedem lugar a comportamentos mais rígidos e inflexíveis”.

Já o poeta Ivan Teorilang afirma: “Para acessarmos a criatividade, teremos que ignorar grande parte dos processos conhecidos, passando por uma reciclagem daquilo que já existe, para finalizarmos descobrindo aquilo que irá existir”.

A verdade é que crescemos formatados e cheios de medos, anseios, traumas e bloqueios. E quando atingimos o auge dos nossos 25 anos, nosso potencial criativo atinge apenas 2% da sua capacidade total. (Fonte: Pesquisa Inovaqui). Eu fui uma vítima desse sistema. Mas eu sobrevivi.

Viver a vida de forma criativa significa trazer os nossos talentos criativos singulares para todas as áreas da nossa vida.

“Todo ser humano possui criatividade em diferentes habilidades. Acredita-se que a habilidade criativa das pessoas esteja de certa forma ligada a seus talentos. Um aspecto essencial da criatividade é não ter medo de fracassar”. (Dr. Edwin Land).

Dentro desse contexto, Gamez (p.208), em 1996, propôs (e eu sigo à risca) o seguinte: “Olhe à sua volta. As oportunidades para exprimir a sua originalidade estão por todo o lado. Use a sua criatividade para melhorar a sua família, o seu bairro, o seu país.

Convide os outros a aperceber-se dos seus respectivos potenciais criativos. Encoraje-os a usar as suas imaginações e a procurar novas maneiras de fazer as coisas. Nós precisamos de um fluxo contínuo de novas ideias e perspectivas para nos conduzir através dos complicados problemas que o mundo enfrenta hoje”. 

Em uma matéria no site da revista Forbes sobre “A Criatividade Libertadora”, John Cleese, membro do Monty Python, disse: “A criatividade não tem de ser ensinada, tem de ser libertada”.

Expressamos nossa criatividade todos os dias, desde a hora em que acordamos até a hora em que adormecemos. Alguns a expressam de maneira mais intensa (como eu!), outros bem menos; e tem aqueles que não a utilizam para absolutamente nada. Mas a criatividade está conosco todo o tempo, esperando apenas ser acessada para então impulsionar as nossas ideias. Alguns autores defendem que até os sonhos são uma expressão da criatividade em ação.

A criatividade não é um elemento adicional, algo extra para o qual é necessário encontrar-se tempo na vida atribulada. A criatividade é, na verdade, uma maneira de realizar o que já fazemos de uma forma melhor, mais rica, diferente, emocionante e mais produtiva.

Imperceptivelmente a criatividade está incorporada à nossa vida, como algo que precisa ser acessado e não sufocado como muitos de nós fazemos. Ela não é um objeto de decoração que fica ali na estante esperando que você interaja com ela. Definitivamente não.

Sendo assim, quando você acessa o pensamento criativo ele passa a produzir um raciocínio eficaz, permitindo-nos ter uma vida gratificante, intensa, vibrante e bem sucedida.

Resgatamos nossa confiança criativa ao percebermos a vida de forma diferente, com um pouco mais de cor e suavidade, com mais possibilidades, desafios atraentes e oportunidades incríveis.

É algo libertador excitante. Pode acreditar.

 

 

 

Lucas Machado

Lucas Machado

Escritor, profissional de Marketing e Comunicação.

Anterior

Felicidade

Próximo

Tartar de Filet