Fernanda MelloMulheres

Com a palavra, o amor

Com a palavra, o amor

Por Fernanda Mello

Foto: Alessandra Duarte

Para quem não me conhece, meu nome é Fernanda Mello, sou escritora e compositora, e tive o grande privilégio de receber um convite do Lucas Machado para ter uma coluna aqui no Destrinchando.

E sobre o que vou falar? Ah, sobre o AMOR! O tão procurado amor, tema de tantas músicas e poemas, assunto de tantos telefonemas, sessões no divã, choros, desabafos, e confissões em mesas de bar.

Em 2015, lancei dois livros sobre o tema: “Amor na TPM” e “Amar é punk”. Em todos eles, o amor aparece como personagem principal – mocinho e bandido, princesa e vilã, o alegre e o triste, o verso e o inverso, o céu e o inferno, causa e efeito.

Com a palavra, o amor

Crédito: Alessandra Duarte

Porque – sejamos sinceros! – amor cor-de-rosa é muito bonito nos contos de fadas, mas não condiz com o roteiro desconexo em que vivemos. Na vida real, não existem príncipes hollywoodianos, cavalos brancos, beijos na chuva e manhãs sempre felizes, como nos anúncios de margarina.

Em minha opinião, amar é uma das melhores coisas da vida, mas aprender a viver o amor, com toda sua realidade, é pra lá de desafiador. E também, bem desgastante às vezes. Se ainda, assim, vale o risco? Eu acredito, de todo o coração, que sim.

E é essa busca pelo amor – seja ele amor próprio, amor por um objetivo, amor pelo outro, ou simplesmente amor pela vida – que me move. E me faz acordar e escrever todo dia.

Portanto, nossa coluna (sim, nossa, porque a colaboração dos leitores será essencial!) irá falar, quinzenalmente, sobre uma vertente do amor. Sem meias palavras. Sem delongas. Sem frescuras. Sem mimimi. A ideia é desmistificar esse sentimento como algo inatingível e mostrar que ele – sim, o AMOR – é APENAS O QUE É: com todas suas dores, delícias e desafios.

Em nosso próximo encontro nesse espaço, irei mostrar, com toda a informalidade que me cabe (graças a Deus!), a maneira como uma criança, um adolescente e um adulto vêem (e sentem) o amor. E como nossos traumas, medos e eventuais mágoas podem transformar uma coisa simples em algo bem mais complicado.

Nos encontramos, então, dia 28?

Um beijo e até lá!

Fernanda Mello

 

Para quem quiser conhecer mais sobre o meu trabalho:

Blog: www.fernandacmello.com

Instagram: fernandacmello

Snap: fecmello

Fernanda Mello

Fernanda Mello

Escritora e compositora, Fernanda Mello ficou conhecida por seu blog Coração na Boca e por suas inúmeras letras para bandas como Jota Quest, Tianastácia, entre outros, incluindo sucessos como: “Só hoje, “O que eu também não entendo”, “Mais uma vez”. Autora de 4 livros (Princesa de Rua, O menino que queria abraçar o mundo, Amor na TPM e Amar é punk), Fernanda também conta com um canal de crônicas digitais no youtube, que somam mais de um milhão de acessos.

Anterior

Motos e cinema

Próximo

Bruschetta