DestrinchandoLucas Machado

Clichês

Clichês

Os clichês revelam a infinita capacidade do ser humano de ser imprevisível. Quando alguém descobre que o vizinho, tipo o meu que é um ‘psycho’, e despeja a tradicional fala ”Mas ele era um rapaz tão quieto e educado”, não está comentando sobre aquele assunto específico, mas
recorrendo a um código comum de estupefação com a capacidade do ser humano de surpreender seus iguais.

Acima de tudo os clichês são ecológicos (Rs!). Economizamos muita energia com eles, não perdendo tempo tentando criar diálogos mirabolantes em situações onde a lubrificação social é mais importante do que o conteúdo. Tem mais, ajudam a conversar quando não
se tem assunto. O que seria da raça humana sem temas universais como a meteorologia? ”Será que vai chover hoje?”. Não é uma pergunta para ser respondida com conteúdo, mas sim com o mínimo suficiente de atenção para que o ser humano se descubra menos sozinho no universo.

Os clichês oferecem conforto psicológico. Enquanto jogadores de futebol disserem
que vão dar o melhor de si e fazer o que o professor pediu, o mundo é aquele que achamos que conhecemos.

Pode haver uma dose de sarcasmo, mas tenho absoluto respeito aos clichês. Funcionam como vetores básicos da comunicação. Ajudam na convivência do ser humano. E no que diz respeito aos relacionamentos mais profundos, por outro lado, são capazes de resgatar valores e sentimentos com uma certa
leveza, geralmente perdidos na convivência baseada na rotina. Fui…

 Clichês

Lucas Machado

Lucas Machado

Escritor, profissional de Marketing e Comunicação.

Anterior

Alegria Compartilhada

Próximo

A Máfia