DestaquesPaulo Solmucci

Cantina do Lucas

Cantina do Lucas

E faça um brinde aos robôs.

Cantina do Lucas

 

Por Paulo Solmucci

Os encontros nos ambientes dos bares, cafés e restaurantes favorecem a criatividade e a inovação. Albert Einstein já escreveu sobre isso. A afirmação está em sua coletânea de textos, intitulada ‘Como vejo o mundo’, publicada no Brasil pela Editora Nova Fronteira. Há dezenas de renomados autores do mundo inteiro que batem na mesma tecla: o acaso de uma conversa descontraída pode completar a parte que falta em alguma coisa que estamos bolando.

Há uma pequena conferência digital (TED) que esclarece muito bem a questão.  Pode ser encontrada no Youtube. Nela, o escritor científico Steven Johnson faz um resumo de seu livro ‘De onde vêm as boas ideias’ (Editora Zahar). As conexões pela internet são essenciais, hoje.  Mas não há nada que substitua os contatos frente a frente, olho no olho, que ocorrem nos bares, cafés e restaurantes.  O que ele diz é: favoreça o acaso, seja criativo.

Tanto isso é verdade que os ingleses inventaram há pouco mais de dez anos um jeito de os cientistas deixarem seus laboratórios e irem aos bares, cafés e restaurantes para conversar com as pessoas. A iniciativa espalhou-se por 11 países. Chegou ao Brasil no ano passado, na forma de um projeto piloto, realizado na cidade paulista de São Carlos.  Nos próximos dias 23, 24 e 25 de maio esses encontros estarão sendo realizados em sete cidades, inclusive em Belo Horizonte, com o nome de ‘Pint of Science’. A versão brasileira é denominada ‘Um Brinde à Ciência’.

Em Belo Horizonte foram escolhidos dois bares e um café para o ‘Um Brinde à Ciência’ que ocorrerá entre as 19h30 e as 21h. São eles: o Itatiaia Rádio Bar, a Cantina do Lucas e o Museu de Minas e Metais (MMM) Gerdau. A programação está na internet (www.pintofscience.com.br). Eis um exemplo: no dia 24 de maio, dois cientistas conversarão com você sobre o futuro dos robôs, na Cantina do Lucas. A entrada é gratuita. As despesas de mesa correm por conta de cada um.

As cidades tornam-se mais criativas e inovadoras – cientificamente, literariamente ou musicalmente, não importa – na medida em que oferecem, em suas ruas, as mais elevadas ‘densidades’ de relações sociais, nos ambientes dos bares, cafés e restaurantes. Esta conclusão não nasceu de um simplório achismo.  Está comprovada por Einstein, por Steven Johnson e pelos cientistas de Londres, que inventaram o ‘Pint of Science’. Vamos aumentar ainda mais a roda da nossa mesa inteligente e divertida. Levantemos os copos e taças, em brindes às ciências. E, é claro: brindes também aos amigos. Até porque ninguém é de ferro, como um robô.

Paulo Solmucci

Paulo Solmucci

Paulo Solmucci - Presidente da ABRASEL (Associação brasileira de bares e restaurantes).

Anterior

Black Boots na estrada: Botas em Tiradentes

Próximo

Viagem em Grupo