DestaquesFernanda Mello

Cansei de ser boba

Cansei de ser boba

Cansei de ser boba

Foto: Fernanda Mello Por Elias Martins

Por Fernanda Mello

De uns tempos pra cá, muita coisa mudou: deletei um monte de gente da minha vida, sem um pingo de remorso. Quem me conhece, sabe que nunca fui assim. Sempre dei segundas, terceiras e décimas chances para todo mundo. Compreendi os erros alheios. Chorei e sofri junto. E ainda passei a mão na cabeça de quem fingia querer o meu bem.

A verdade é que – se me analisarem hoje – perceberão que virei outra pessoa. Pareço a mesma de sempre, mas sinto que não sou mais boazinha. Minha tolerância acabou, minha intuição fareja à distância uma cabecinha ruim. Não aceito mais ser amiga de stalkers, de gente mal resolvida e que me ferra pelas costas. Não tenho raiva de ninguém, mas minha prioridade agora é uma só: eu. Podem me chamar de egoísta, eu aceito. Mas chega um momento na vida em que é necessário parar de ser boa com os outros e ser boa – primeiramente – com a gente. Fiquei amarga? Não mesmo.  Agora eu sou prática. Vacilou? A porta está aberta, meu bem. Sem dó nem piedade.

Outro dia uma amiga me disse uma frase que prometi não esquecer: quando o “ajudar ao outro” começa a te prejudicar, chegou a hora de parar.

OK. Desculpem-me, então, os que larguei à deriva. Salve-se quem puder!  (Não é esse o clima?)
É, pessoal, infelizmente, tudo tem seu limite. É como querer salvar quem está afogando. Se bobear, um abraço. Em um minuto, os dois estarão lá no fundo…

Acho, na verdade, que deveria ser instituído com amigos igual fazemos com namorado. Uma coisa do tipo: “querida, vamos terminar”! Acho muito digno. E até saudável. Afinal, se quase nada é eterno, quem disse que amizades também não podem chegar ao fim?

Eu sempre fui boazinha, admito. Mas… EU FUI. Agora, acreditem ou não, não sou mais. E não vou tolerar alguém que me faça ter sentimentos que não sejam incríveis. É uma questão de respeito com a minha própria vida.  E comigo mesma. Não quero. Não posso. Não vou. E, se insistir, eu vou botar pra quebrar, despejar cada palavra dura, doa a quem doer. Estão com medo? (Eu estaria). Cansei de cobranças, chantagens emocionais, meu coração, antes mole, ficou forte, imaginem só!  4 séries de 8 durante anos e anos…. (Me entendem?).

Então pra você que acha que eu sou a mesma boba de sempre (que escuta, releva e põe panos quentes), um aviso: tome cuidado comigo. Porque agora que eu sei o que me é caro, não vou mais deixar barato.

Leia mais:

O Teatro Mágico

Kaká Chazz

Fernanda Mello

Fernanda Mello

Escritora e compositora, Fernanda Mello ficou conhecida por seu blog Coração na Boca e por suas inúmeras letras para bandas como Jota Quest, Tianastácia, entre outros, incluindo sucessos como: “Só hoje, “O que eu também não entendo”, “Mais uma vez”. Autora de 4 livros (Princesa de Rua, O menino que queria abraçar o mundo, Amor na TPM e Amar é punk), Fernanda também conta com um canal de crônicas digitais no youtube, que somam mais de um milhão de acessos.

Lafetah
Anterior

Lafetah

Responsabilidades
Próximo

Responsabilidades