Destrinchando

Canadá Curiosidades

Canadá Curiosidades

O que tem de melhor na costa leste! Lagos, praias, montanhas, rios e um visual sem comparação!

O Canadá é o segundo maior país do mundo. Foi colônia da França e Inglaterra. Descoberto, na verdade, pelos Vikings muito antes de Colombo, que foi somente o terceiro a saber das terras ao Norte.

Assim que pousei em Toronto, já logo pude ver a diferença: “Bonjour & Good Morning”, assim se dá um bom dia.

Já na ida para o hotel, não pude deixar a comparação de lado e fui logo soltando “nossa, parece NYC” e o guia já devolve “sim, mas muito melhor”!

Na beira do Lago Ontário pude ver uma cidade cheia de contraste, a língua inglesa, galerias de arte e shoppings de todos os tipos. A moda está presente nas principais cidades, como em Vancouver, que tem uma semana da moda, e que este ano contou com a presença de um estilista brasileiro.

Canadá Curiosidades

Torre CN Toronto.

Lobster Restaurant, em Toronto.

 

Allen Lambert Galleria.

 

Saímos de Toronto em direção a NiagraFalls. De um lado da cachoeira, o Canadá, e do outro, USA. Um lindo lugar, mas que nem de longe chega à nossas fantásticas Cataratas de Foz do Iguaçu. Suas histórias e filmes são mais famosos.  Um volume de água que impressiona, a cor esmeralda da água e o barulho chamam atenção e prendem nossos olhos na maravilha que é a queda gigantesca!

Uma estrutura turística foi montada para atender milhares de passageiros que podem ir a um centro comercial com restaurantes, lojas, cafeterias, tudo com lembranças da famosa Niagra. Coisa de primeiro mundo, como tudo no Canadá.

No dia seguinte saí direto para a capital, Ottawa, que fica a449 kmde Toronto e a200 kmde Montreal, que vou logo em seguida.  Cidade de língua inglesa, já que o Canadá é um mix de culturas gigantescas onde se fala vários idiomas.

Cidade maravilhosa, organizada e que tem o transporte público perfeito. Durante o verão, barcos são usados como meio de transporte e, no inverno, as pessoa podem inclusive ir patinando pelo rio até o centro da cidade, o que é bem comum.

Galeria nacional de arte moderna.

Troca da guarda em frente ao parlamento Canadense.

 

Um dois mais legais museus que visitei foi também no Canadá, em Otawa, uma arquitetura sem igual que destaca a cultura indígena e colonizadora. Um dos maiores museus do Canadá tem um dos mais importantes e curiosos acervos do país e é também o mais visitado. Dentre as peças, os famosos Totens das tribos indígenas canadenses. Podemos ver os originais e gigantescos que chegam a 15m de altura. Também itens relacionados a colonização europeia e indícios da presença dos Vikings, que no ano 100 estiveram em terras americanas.

 

Saí da capital e rumei mais ao nordeste canadense em direção a charmosíssima Quebec. Ulalá!

Chegamos à parte francesa e o primeiro aspecto é ver o pedacinho da frança no Canadá. Ninguém tem problemas em falar inglês. É a segunda maior província Canadense

No Canadá é muito comum as pessoas falarem duas ou três línguas, já que nas escolas é obrigatório, e fica fácil já que todos são extremamente educados e atenciosos com o turista.

Na padaria ao lado do hotel, tudo tem ar francês: os brioches, os doces, o cardápio em francês  (é claro) e os pratos já são tipicamente da gastronomia francesa. É muito legal a sensação de mudar de cidade no mesmo país e ver como pode ser tudo tão diferente.

 

Fotos da região turística da cidade.

 

Dois dias e pronto: Montreal

Nas margens do Rio São Lourenço, é uma das principais cidades. Famosa por ter sediado os jogos olímpicos de 1976 e que hoje sedia uma etapa da Fórmula 1, Montreal tem um cassino  maravilhoso e uma curiosidade bem legal: um prédio que foi feito baseado na arquitetura das favelas do Brasil. Quem disse que nas favelas não existe arquitetura? Aí está a prova que existe sim! E é muito curiosa: nenhuma janela no edifício dá de frente para outra!

Logo ali pertinho estão as famosas Mil Ilhas Canadenses, que na verdade são 1.865 ilhas e ilhotas, que inclui a menor ilha do mundo. O tour dura cerca de duas horas. Pegamos um barco perto da cidade de Brockville para conhecer a região, onde a maioria da ilhas são particulares, mas todas muito lindas. Algumas tem até castelos que dão uma impressão da riqueza e importância do lugar.

Como os invernos são muito rigorosos, chegando a 30 graus negativos, esses passeios podem ser feitos durante os meses de maio a outubro. No inverno se pratica a pesca de furo, onde as pessoas cavam buracos no gelo até atingir a água e ali pescam.

 

Dicas de viagem:

– Voos: somente uma empresa aérea voa direto ao Canadá saindo do Brasil, outras são via USA onde é preciso ter o visto americano.

– Documentos: é necessário visto para o Canadá, a carteira de motorista do Brasil é aceita,  porém é recomendando que tenha uma internacional caso tenha algum problema.

– Seguro: não deixe de ter um seguro de viagem mesmo que os hospitais sejam todos de primeiro mundo, qualquer coisa particular pode custar muito caro.

– Energia elétrica: 127v. As tomadas são de rico, não são as redondas, então leve seu adaptador, já que lá não existem para os novos plugs do Brasil.

– Língua: o inglês é falado mesmo nas cidades francesas.

– Clima: de maioa outubro a temperaturaé muito boa, sendo verão de muito calorde junho a agosto.

– Roupas: se gostar, existem muitos brechós com casacos pesados para o frio nas principais cidades canadenses.  Se levar um casaco de frio do Brasil não vai ajudar muito e vai lotar sua mala.

– Moeda: o Dólar canadense, que vale quase o mesmo que o dólar americano (quase um por um).

 

 

 

 

 

 

Destrinchando

Destrinchando

Anterior

Receita Panna cotta

Próximo

Fatos X Problemas