DestaquesDestrinchando

Benefícios e nutrientes de 14 tipos de chás

Benefícios e nutrientes de 14 tipos de chás

Destrinchando

Por Rachel Capucio

A China é tida como o país de origem do chá. Segundo a lenda, o Imperador chinês Shen Nung, em 2.737 a.C. , fervia água para beber quando algumas folhas de uma árvore próxima caíram na panela. Hoje, porém, outros países se destacam como produtores de chá de qualidade. Cada um possui uma característica específica.

Com a baixa dos termômetros, um chá quentinho é sempre bem-vindo. Para aproveitar as vantagens terapêuticas que eles fornecem, é preciso saber a forma correta de preparo: desligue o fogo assim que a água começar a ferver e acrescente duas colheres de sopa para um litro ou duas colheres de chá para cada 250 ml. Abafe por três a cinco minutos e coe. O chá deve ser armazenado sempre na geladeira ou na garrafa térmica e jamais reaquecer a bebida, porque parte de suas propriedades serão perdidas. Confira abaixo os benefícios de alguns chás e escolha o seu preferido!

Chá de Camomila (Matricaria chamomilla): Melhora gases, diarreia nervosa, colite, gastrite e hemorroidas.

Hortelã (Mentha piperita): melhora a digestão pelo relaxamento da musculatura lisa do trato gastro intestinal e aumento da secreção biliar.

Erva-cidreira (Lippia citriodora): melhora a cólica e gases. É anti-inflamatória.

Gengibre (Zingiber officinale): aumenta o peristaltismo, é termogênico, melhora náuseas e enjoo.

Chá Verde (Camellia sinensis): tem ação antioxidante, termogênica, anticâncer e de melhora da capacidade cerebral evitando alguns tipos de demência.

Chá de Unha-de-gato (Uncaria tomentosa): é anti-inflamatória e moduladora do sistema imunológico. Possui comprovadamente atividades antioxidantes, anti inflamatórias e tem sido empregada em doenças como o câncer, SIDA, resfriados e gripe, úlceras gástricas, doenças inflamatórias intestinais e artrite reumatóide. Seu uso não é recomendado na gravidez ou lactação (porque ainda não foi plenamente investigada nessa população) e em pessoas que utilizam algumas medicações.

Canela (Cinnamomum verum): tem efeito anti-inflamatório, antimicrobiano, antioxidante, antitumoral, antilipemiante e imunomodulador. Tem também ação hipoglicêmica.

Mulungu (Erythrina velutina): diminui a ansiedade, combate a insônia e melhora a tensão muscular.

Dente-de-leão (Taraxacum officinale): tem sido usado para tratar má digestão, azia, distúrbios no baço e fígado e em inflamações. A Anvisa alerta que ele deve ser evitado
na presença de obstrução dos ductos biliares e do trato intestinal.

Melissa (Melissa Officinalis L.): é calmante e ajuda a diminuir a ansiedade.

Espinheira santa (Maytenus ilicifolia): em atividade cicatrizante sobre a mucosa do estômago. Tem também efeito anticâncer. Pode ser usada para melhorar a digestão e reduzir a distensão abdominal, gases e dores, esofagite de refluxo e hérnia de hiato. Além disso, pode estimular a menstruação e equilibra o estrogênio durante a menopausa. Contraindicada para mulheres que querem engravidar, gestante, lactantes e pacientes com câncer estrogênio dependentes.

Leia mais:

Materiais sustentáveis ganham espaço no mercado

Rachel Capucio

Rachel Capucio

Rachel Capucio de Paula e Silva é advogada, graduada pelo Centro Universitário de Belo Horizonte(UNI-BH), pós-graduada em Direito do Estado (Universidade Anhanguera/Uniderp) e em Ciências Criminais ( Faculdade de Direito Padre Arnaldo Janssen).

Anterior

Gordura corporal ideal

Próximo

Quantos copos de água eu devo tomar por dia