DestaquesDestrinchando

Anticoncepcional e performance muscular: essa combinação pode não dar certo

Anticoncepcional e performance muscular: essa combinação pode não dar certo

Destrinchando

Uso de métodos contraceptivos hormonais pode prejudicar o ganho de massa magra e contribuir para o aumento do peso corporal

 

Perder um quilo ou outro; reduzir a gordura localizada; e deixar os músculos mais torneados são alguns dos principais desejos de quem se preocupa com a aparência. No entanto, algumas mulheres queixam-se sobre a dificuldade em alcançar estas metas. Para a ginecologista da Clínica Penchel, Talitha Melo, estas situações podem estar ligadas a algo muito utilizado pelas mulheres, a pílula anticoncepcional. Segundo dados da Universidade de Harvard, o número de mulheres que utilizam a pílula como um método para se evitar a gravidez chega a mais de 100 milhões.

 

A pílula anticoncepcional nem sempre será prejudicial. Além da gravidez, esse medicamento pode ajudar a prevenir uma série de males. “O contraceptivo oral deve ser receitado por um profissional ginecologista, após consulta com o paciente e análise de exames. Apesar de ser mais conhecido como método para evitar a gravidez, as pílulas podem auxiliar na redução de acnes, cistos nos ovários, sintomas da tensão pré-menstrual (TPM) e inchaço, além de melhorar o aspecto da pele e dos cabelos”, aponta Talitha. No entanto, o que muitas pessoas ainda não sabem é que os contraceptivos que possuem hormônios sintéticos em sua composição, como as pílulas, injeção, adesivo, anel vaginal e o DIU de levonorgestrel, podem atrapalhar o desempenho de quem pratica atividade física.

 

Segundo Talitha, isso acontece porque, ao reduzir o percentual de gordura e manter o corpo torneado, é preciso aumentar a massa magra. Todavia, o processo que todo contraceptivo hormonal causa no corpo, prejudica o ganho dessa massa. “O anticoncepcional é composto, basicamente, por dois hormônios fabricados em laboratório, mas que são semelhantes aos produzidos pelo organismo feminino. São eles o estradiol e a progesterona. A pílula funciona da seguinte maneira: ao ingerir seus compostos sintéticos, nosso corpo entende que já produziu a quantidade suficiente do hormônio natural e interrompe a produção. Ao enganar o corpo, o organismo ficará com uma quantidade constante das substâncias e a hipófise não mandará a quantidade de FSH e LH suficientes para uma ovulação. Entretanto, por serem sintéticos, estes compostos não são absorvidos e é exatamente aí que está o problema para quem busca ganhar massa magra”, explica.

 

Ao deixar de produzir os hormônios naturais, nosso corpo perde os benefícios que eles iriam oferecer, pois, as substâncias sintéticas não são processadas pelo organismo. Isso faz com que os níveis dos hormônios anabólicos diminuam, o que prejudica o crescimento da massa muscular. Além disso, quando a mulher ingere um contraceptivo oral, o corpo reconhece a presença desses hormônios no organismo e libera em excesso um tipo de proteína que realiza o transporte e regula o nível hormonal, conhecida como globulina. Mas, como o anticoncepcional é um composto artificial, esses hormônios não se conectam às globulinas, o que faz com que ela transporte praticamente todos os outros compostos hormonais do corpo, como por exemplo, a testosterona.

 

Essa reação é ruim para quem tem como objetivo a hipertrofia muscular, pois, a testosterona aumenta a absorção de aminoácidos e estimula a síntese de proteínas no músculo. Portanto, a formação dos músculos será prejudicada sem a testosterona livre no organismo.  O cortisol, popularmente conhecido como o hormônio do estresse, também é afetado com o uso dos anticoncepcionais. “Com o uso de contraceptivos hormonais, o cortisol pode se apresentar elevado. Esse aumento, pode levar a ganho de peso”, conta a ginecologista.

 

Para o médico nutrólogo e diretor da Clínica Penchel, Lucas Penchel, usar ou não usar os métodos contraceptivos hormonais deve ser uma decisão tomada junto ao médico. “O anticoncepcional é uma conquista importante para a mulher. Mas, é preciso analisar quais são as metas destas pacientes, para que não encontrem nenhum percalço durante o caminho. Todos os contraceptivos hormonais prejudicam a performance muscular, pois, do contrário, não serviria para prevenir a gravidez. Então, quando a paciente chega até a minha clínica com o objetivo de perder gordura ou conseguir hipertrofia muscular, ela em seguida é encaminhada a um profissional ginecologista também, para que seja avaliado qual o melhor método a ser adotado. Mulheres com a menstruação alterada e com propensão à doenças do sistema reprodutor, devem fazer uso de PAC, mas, do contrário, o DIU de cobre é uma excelente opção”, salienta Lucas.

Leia mais:

Alimentos vilões: saiba quais podem danificar os dentes

Lucas Machado

Lucas Machado

Escritor, profissional de Marketing e Comunicação.

Anterior

Tratamentos da pele são favorecidos com a chegada do outono

Próximo

Diastema: Principais características e formas de tratamento